Interior

19 de junho de 2019 14:39

Sétima Oficina de Humanização mobiliza gestores no HE do Agreste

A partir de agora, ações passam a ser desenvolvidas pelo hospital, com apoio da Secretaria de Estado da Saúde

↑ Grupo se reuniu mais uma vez no hospital, em Arapiraca Foto: Davi Salsa

O Hospital de Emergência Daniel Houly, em Arapiraca, nesta quarta-feira (19), está sediando mais uma Oficina Técnica de Humanização, com a presença de gestores, coordenadores setoriais e profissionais de saúde que atuam no projeto Acolhe SUS.

Desde o ano de 2017 que o hospital é referência em Alagoas e recebe oficinas e teleconferências, com o apoio de técnicos do Ministério da Saúde e da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau).

A implantação do projeto visa aperfeiçoar as ações de humanização e fazer o Acolhe SUS avançar e proporcionar mais melhorias na qualidade da assistência aos usuários e nos processos de trabalho das equipes, bem como a ampliação dos cuidados e oferta de serviços, tendo como base a Política Nacional de Humanização (PNH).

Representando a gerente-geral Regiluce Santos, a diretora-administrativa do HE do Agreste, enfermeira Dayane Pereira, participa ativamente das atividades, que começaram pela manhã e se estendem pelo período da tarde.

Na ocasião, o coordenador do projeto Acolhe SUS no HE do Agreste, assistente social Rodrigo Barbosa, fez um levantamento das ações desenvolvidas e agradeceu o apoio da coordenadora estadual do Programa Nacional de Humanização (PNH), vinculada à Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), Luzia Malta, da apoiadora Vera Callado e do  representante do Ministério da Saúde e da Coordenação da Política Nacional de Humanização, Diego Santos.

Todo o trabalho está sendo feito com base no acompanhamento do fluxo que o usuário percorre, desde a entrada no hospital, recepção, classificação de risco até a consulta e atendimento médico especializado.

A oficina desta quarta-feira também marca a transmissão de cargo de Rodrigo Barbosa para o novo coordenador do projeto Acolhe SUS, o psicólogo Fabiano Leirias, que, a partir de agora, vai sistematizar todas as ações com o apoio da Sesau, enquanto o Ministério da Saúde redefine o futuro do projeto em todo o país.

Fonte: Tribuna Hoje / Davi Salsa

Comentários

MAIS NO TH