Economia

23 de agosto de 2019 19:22

Equatorial continua processo de demissão em massa

De acordo com o Sindicato dos Urbanitários, já são mais de 600 que saíram da empresa desde que grupo assumiu gestão

↑ Equatorial Energia (Foto: Edilson Omena)

 

Matéria atualizada às 22h

Após pouco mais de quatro meses da privatização da antiga Ceal, comprada pelo grupo financeiro Equatorial, os males anunciados pelo Sindicato dos Urbanitários de Alagoas apontam queda na qualidade dos serviços, o aumento da tarifa e demissões em massa que atingem diretamente os trabalhadores que entraram através de concurso e, agora, são colocados para fora sem qualquer critério.

Segundo o sindicato, são mais de 600 famílias que saíram da empresa desde que o grupo financeiro assumiu o controle da antiga Ceal. Mesmo com toda a disposição dos Urbanitários para negociar uma alternativa, a empresa se mantém intransigente, demitindo semanalmente dezenas de trabalhadores, muitos deles jovens que iniciaram suas carreiras no serviço público recentemente.

O sindicato afirma que já mostrou para a empresa que essas demissões não fazem nenhum sentido, pois essa mão de obra é necessária e, que ela terá que recontratar esse pessoal especializado através de terceirizadas. “Demitidos já possuem salários compatíveis com o mercado local. Além disso, não irão precisar de capacitação, pois já são treinados e qualificados para atuar na área”, declarou o sindicato em comunicado.

“O Sindicato repudia, mais uma vez, essa onda de demissões em massa e apela aos políticos, que possam agir em relação a essa situação, que atinge diretamente a população alagoana, com a queda da qualidade dos serviços, com mão de obra precarizada e, a economia alagoana, pois aumenta ainda mais o contingente de famílias que perdem seus empregos, levando a piorar ainda mais a situação econômica do Estado de Alagoas”, diz o informe dos Urbanitários.

Nota de esclarecimento

A Equatorial Energia Alagoas esclarece que a empresa foi privatizada recentemente, herdando uma dívida de mais de R$ 1.8 bilhões de reais, com sucessivos prejuízos e uma prestação de serviço precária. Neste momento, a distribuidora encontra-se em processo de reestruturação.

A empresa realizou o Programa de Demissão Voluntária, onde os que julgaram ser o momento, aderiram ao PDV. O quadro de colaboradores da distribuidora está sendo adequado ao modelo de gestão do Grupo Equatorial Energia.

A concessionária mantém relacionamento institucional respeitoso com todos os órgãos de representação de classe, entidades públicas e poderes constituídos, prezando pela observância da legislação trabalhista.

A Companhia ainda ratifica o compromisso da empresa com o estado e já apresentou o plano de investimentos da companhia até 2020, onde busca a melhoria no fornecimento de energia elétrica e atendimento, para satisfação dos clientes.

Assessoria de Imprensa da Equatorial Energia Alagoas”

Fonte: Tribuna Hoje com Assessoria

Comentários

MAIS NO TH