Cidades

17 de outubro de 2020 08:46

Famílias buscam outras opções com alta no preço da carne

Profissional alerta para riscos de adoecimento que a deficiência nutricional pode causar à saúde

↑ Preço da carne subiu muito e já chega alto do fornecedor, segundo açougueiro, que repassa ao consumidor (Foto: Edilson Omena)

Para lidar com a alta dos produtos, a população tem buscado alternativas mais baratas para se alimentar. Um exemplo comum é a carne, que já não faz mais parte do cardápio diário em muitas famílias. A solução tem sido substituir por outras proteínas. Frango, peixe, fígado e até mesmo o ovo são a opção para o cotidiano.

“A gente não deixa de comprar, mas compra mais outras coisas frango, fígado, peixe. Deixa a carne pra o final de semana, um dia ou outro, não dá pra comer todo dia. Está muito caro o preço da carne”, disse a dona de casa Ingrid dos Santos.

Dono de um açougue no bairro de Virgem dos Pobres, Wagner Soares tem ouvido reclamações dos clientes. “Fazem comentários que tá caro, que procuram outros meios para se alimentar até baixar, se é que vai baixar. A gente espera que baixe”. O comerciante explica que não tem opção, a alta é dos fornecedores.

“Preço da carne subiu muito, já chega assim do fornecedor, e a gente tem que repassar pros consumidores”. Ele sente o resultado disso nas vendas nos últimos três meses. “Diminuiu um pouco devido ao valor mais caro, mas sempre tem um pessoal que insiste em comprar. Foi em torno 30 a 40% de redução”.

A nutricionista Paula Guimarães explica que a substituição de carne por outros alimentos, como ovo é possível, mas não é tão simples. “Em termos de proteína, a depender da quantidade de ovo consumida, a quantidade pode ser equivalente sim”. Segundo ela, para obter a mesma quantidade de proteína que tem em um bife de carne bovina são necessários três ovos.

Em uma refeição, normalmente não é essa a conta que as pessoas fazem. “É bem raro, ainda mais em tempos de crise em que se está querendo reduzir os custos o que acontece é que, para economizar e render mais a bandeja, vão tender a consumir apenas um ovo por refeição”. Do ponto de vista da saúde, isso pode ser um problema. “Pode ser ruim pelo fato de não variar os alimentos e possivelmente não ter o consumo necessário e diverso de nutrientes”.

Paula fala sobre os efeitos negativos podem surgir se a mudança durar mais tempo. “A longo prazo as carências nutricionais podem causar danos à saúde que podem ser traduzidos em sintomas mais simples desde manchas nas unhas e queda de cabelo até mais sérios como dificuldade na concentração/memória e até desnutrição, a depender do nível da carência”.

Fonte: Tribuna Independente / Emanuelle Vanderlei

Comentários

MAIS NO TH