Cidades

24 de julho de 2020 11:13

Rachaduras: após 62 anos, lar vai mudar

Casa Luiza de Marillac com 40 idosas, em Bebedouro, ainda não sabe para onde instalações vão

↑ Sede do abrigo de idosas está na área incluída para desocupação em função de afundamento de bairro l Foto: Edilson Omena

Após 62 anos na mesma sede, o abrigo de idosas Luiza de Marillac vai ser desocupado. No local, as rachaduras vêm se intensificando. Recentemente o lar foi incluído entre os imóveis que precisarão ser evacuados no bairro de Bebedouro.

A coordenadora do abrigo Solange Leopoldino informa sobre a situação do prédio: “São muitas rachaduras, muitos problemas, elas começaram a aparecer há pouco tempo mas estão aceleradas. Começou mais ou menos no início do ano, a gente não vinha percebendo e de repente começou a agravar. Os funcionários ficam com medo, os idosos ficam com medo”, detalha.

40 IDOSOS

Solange conta ainda que o lar abriga 40 idosas e a preocupação é como será o futuro das instalações da entidade que dependem de uma definição do programa de compensação da Braskem.

“Atualmente temos 40 idosos atendidos e 60 funcionários. Estamos com medo, ficamos apreensivos, mas não podemos sair agora. Não temos como arrumar um local e nos mudar sem saber quando e quanto vamos receber, sem nada definido”, diz.

A informação mais recente, é de que uma reunião hoje (24) deve dar início as negociações.

“A Braskem marcou uma reunião para sexta-feira feira, 24 às 15h com a direção da casa. Segundo eles é para determinar as medidas necessárias para que a gente possa ser atendido nessa mudança”.
Questionada pela reportagem, a Braskem informou que está em contato com a direção da casa, mas não explicou se o imóvel terá prioridade por se tratar de um lar de idosos. A empresa também não estipulou prazo para término das negociações.

“A Casa Luiza de Marillac está localizada no novo mapa de desocupação da Defesa Civil, que foi objeto do aditivo ao acordo assinado com as autoridades públicas. A Braskem está em contato com os responsáveis pela administração do abrigo e já há uma agenda definida para o início do diálogo. A Braskem está sempre buscando entender especificidades para garantir a segurança e a tranquilidade da comunidade” diz a empresa em nota.

Fonte: TRIBUNA INDEPENDENTE / EVELLYN PIMENTEL

Comentários

MAIS NO TH