Cidades

10 de novembro de 2017 09:32

Profissionais relatam desafios de trabalho em sistema home office

Pesquisa aponta que 48% das pessoas que realizam serviço remoto dizem ter dificuldade de concentração

O home office é um sonho para alguns. Mas desempenhar atividades profissionais de casa requer esforço. Segundo uma pesquisa nacional produzida pela empresa Spaces, 48% dos entrevistados disseram que encontram dificuldades para se concentrar nos assuntos do trabalho.

A pesquisa ouviu 900 brasileiros que trabalham em casa. Em Alagoas, a consultora de negócios sênior Fabyana Lucena, de 33 anos, diz que precisou se adaptar a uma nova rotina profissional há cerca de um ano.

“O escritório onde aconteciam as reuniões toda segunda-feira foi fechado. Então, há cerca de um ano estamos nesse sistema. Eu trabalho de terça a sexta em expediente normal, mas dia de segunda a gente fica home office. Ficamos analisando relatórios e a tarde a gente faz videoconferência. O dia todo, de 8h da manhã até às 18h.”

Apesar de considerar o sistema como mais confortável. Ela diz que passa por algumas dificuldades no cotidiano.

“Exige mais concentração porque no ambiente de trabalho está todo mundo focado, mas em casa tem marido, tem filho e exige que o profissional tenha mais concentração, fique num cantinho mais reservado. Porque é filho chamado, marido. Mas é bom porque você está em casa, fica confortável, não perde tanto tempo para se arrumar, para sair. Dá para ter uma flexibilidade maior para fazer um lanche, coisa que na empresa você não consegue. Só no horário de almoço”, explica a consultora.

Outro desafio, segundo Fabyana, foi adaptar o ambiente residencial a um modelo mais profissional. “Para mim a adaptação foi tranquila, a dificuldade foram os equipamentos, o ambiente de escritório que eu não tinha. Precisei me adaptar. Uma mesa para reunião, projetos para a videoconferência. Minha casa não tinha ambiente próprio”, diz.

Serviço em casa

Desenvolvedor front-end destaca benefícios e desvantagens

O Desenvolvedor front-end Tiago Cedrim, de 28 anos trabalha para uma empresa de tecnologia sediada na Califórnia, Estados Unidos.

“A empresa que eu trabalho é responsável por um aplicativo de serviços de diaristas, como se fosse um Uber de diaristas. O nome da empresa se chama Tidy (em português significa arrumado)”, explica.

Apesar de precisar cumprir oito horas diárias de expediente, ele diz que o horário pode ser flexibilizado.

Ele lista os desafios ou, como ele define, as desvantagens pessoais e profissionais de realizar o trabalho remoto. “Não conseguir gerenciar o tempo entre lazer e trabalho se não for regrado, sentir falta de contato social caso não force a sair de casa. Pode existir a possibilidade de trabalhar mais do que o normal caso não gerencie seu tempo. Em casa as pessoas podem não achar que você tem um trabalho de verdade, você acaba tendo menos contato com pessoas da sua área no dia a dia”, exemplifica.

Os benefícios, segundo Tiago, incluem a melhora na qualidade de vida, flexibilidade e autonomia.

“Não tenho estresse com o trânsito, melhora a alimentação, me dá mais qualidade de vida, eu não preciso me preocupar com a aparência para trabalhar e posso estar sempre em casa. Além disso, tenho grande flexibilidade de horário, posso trabalhar em qualquer país e ainda gerencio meu tempo”, explica.

Para Fabyana, trabalhar em casa tem suas vantagens, mas ela afirma que não troca o modelo tradicional de trabalho. “Sou muito comunicativa. No ambiente de trabalho você consegue interagir com outras áreas, estabelecer relacionamentos. Tenho muitos colegas em Alagoas que sempre encontrava e hoje não consigo mais ver. Eu prefiro no escritório”, destaca.

Fonte: Tribuna Independente / Evellyn Pimentel

Comentários

MAIS NO TH