Política

13 de novembro de 2017 10:27 / Por: Tribuna Hoje

Em gesto contra Aécio, FHC defende Alckmin para presidência do PSDB

Novo presidente do PSDB, Alberto Goldman, contudo, demonstra nenhuma preocupação com a discussão sobre a permanência ou a saída do governo Temer

↑ écio Neves, FHC e Geraldo Alckmin (Foto: Agência Brasil)

Na semana seguinte a Aécio Neves (PSDB) ter gerado uma crise no partido destituindo da presidência interina o senador e correligionário Tasso Jereissati, Fernando Henrique Cardoso decidiu se mexer e vai defender a candidatura de Geraldo Alckmin para o comando nacional da legenda.

Segundo o Painel desta segunda (13), FHC “vai se reunir com Tasso Jereissati nos EUA, esta semana, para pedir que o senador abra mão da disputa pela presidência do PSDB em nome do governador Geraldo Alckmin.”

“Com o discurso de união, Alckmin assumiu o papel de pacificador na convenção do PSDB paulista, neste domingo (11)”, explicou a coluna.

Enquanto a crise interna não se resolve, há ainda um imbróglio com o governo Temer, que tende a chutar os tucanos do planalto antes mesmo da convenção da legenda, que pode definir o desembarque em dezembro.

“Tucanos mais próximos a Temer farão um apelo para que o presidente não tire o PSDB do governo. Afirmarão que o partido já decidiu pelo desembarque e que o movimento será feito antes da convenção nacional, marcada para 9 de dezembro.”

O novo presidente do PSDB, Alberto Goldman, contudo, demonstra nenhuma preocupação com a discussão sobre a permanência ou a saída do governo Temer. Ele disse à colunista Mônica Bergamo que “não é uma questão nacional” e que ele não colocará nada relacionado a ela em pauta. “É algo puramente partidário, eleitoral”, afirma.

Para Goldman, o PSDB “não discutiu nada” de relevante nos últimos tempos. Ele prefere, agora, dar prioridade a debates como “concessões, regulamentação da lei do trabalho escravo e Previdência”.

Questionado sobre a candidatura presidencial de Alckmin, Goldman demonstrou alguma simpatia, embora esteja afastado do governador. “O nome do Geraldo [Alckmin] é o mais lembrado. Mas tem muito tempo ainda pela frente”.

Fonte: Jornal GGN