Educação

4 de setembro de 2017 08:35

Educação inclusiva tem sido adota pela rede pública de Maceió

Mais de três mil estudantes com necessidades especiais são atendidos na capital

A educação inclusiva é uma força transformadora que aponta para uma sociedade também inclusiva. A gestão do prefeito Rui Palmeira (PSDB), por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semed), tem se preocupado, cada vez mais, em incluir em sua Rede, alunos com necessidade especiais, considerando as características de cada criança e, por meio de suas ações, proporcionando o aprendizado do respeito e da tolerância às diferenças.

A Escola Municipal Aurélio Buarque de Holanda atende 10 alunos na modalidade de Educação Especial. As necessidades dos alunos variam, mas isso não os impede de aprender e interagir com os demais estudantes.

A aluna Vitória Silva, do 4º ano, é um exemplo disso. Cadeirante, sem movimentos nos membros inferiores e superiores, Vitória está na escola há mais de três anos, ela estuda em sala comum e participa dos projetos na unidade, como o Programa Mente Inovadora da Mind Lab.

“Ela interage muito bem com todos na turma e é uma aluna bastante esforçada. Como a deficiência dela não apresenta nenhum comprometimento mental ela realiza todas as atividades que os demais alunos realizam, na medida do possível, e sempre que precisa de alguma ajuda tem a auxiliar de sala que está ao lado dela”, declarou a professora da turma de Vitória, Hélia Gusmão.

As unidades escolares da Rede dispõe das salas de recurso multifuncionais, com materiais pedagógicos e de acessibilidade para a realização do atendimento educacional especializado, complementar ou suplementar à escolarização. A intenção é atender com qualidade alunos com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades/superdotação, matriculados nas classes comuns do ensino regular.

“A Rede Municipal de Educação atende atualmente 3.146 alunos com necessidades especiais, em 139 unidades escolares, o que representa um aumento de quase 25% em relação ao ano passado. São 86 professores de sala de recursos multifuncionais e 386 auxiliares de sala que trabalham todos os dias para garantir o direito à educação pública, gratuita, de qualidade e igualitária para todos, sem distinção”, declarou Ubiratânia Amorim, coordenadora de Educação Especial da Semed.

 

 

Fonte: Secom/Maceió