Tecnologia

31 de março de 2021 18:52

AL tem espaço para ampliar serviços públicos digitais aponta pesquisa da BID

Segundo levantamento, 96% dos alagoanos tem acesso a internet no celular,

↑ Foto: Sandro Lima/Arquivo

No estado de Alagoas, 96% da população afirma ter acesso à internet por meio do telefone celular. Enquanto isso, 84% dizem que já estavam adaptados ao mundo digital ou se adaptaram a ele com nenhuma ou pouca dificuldade, revela pesquisa realizada pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

São números que revelam elevados níveis de conectividade e de adaptação para o desempenho de atividades digitais entre a população alagoana e representam oportunidades para a ampliação e o aperfeiçoamento de serviços online oferecidos pelo poder público, segundo os autores do estudo – o maior já realizado na América Latina e Caribe com foco em uso de serviços públicos digitais por parte dos cidadãos.

O levantamento foi realizado por telefone em todo o Brasil entre 6 de outubro e 10 de dezembro de 2020, já durante a pandemia, com sub-amostras representativas para cada um dos 26 estados e para o Distrito Federal.

“Nosso objetivo é apoiar o país, tanto no nível federal, quanto nos Estados e municípios, a identificar fortalezas e oportunidades de melhoria na transformação digital de seus governos”, explica Morgan Doyle, representante do BID no Brasil.

A publicação também traduz em números a avaliação dos cidadãos alagoanos aos serviços oferecidos pelos governos federal, estadual e pelos municípios. Em Alagoas, assim como no resto do país, a parcela de cidadãos que aprovam os serviços supera a fatia de insatisfeitos – embora a proporção de satisfeitos, no estado, seja menor do que a média nacional:

Aprovação a serviços digitais estaduais em AL

  • Satisfeitos – 48% (média nacional: 53%)
  • Insatisfeitos – 12% (média nacional: 11%)

Aprovação a serviços digitais federais entre cidadãos em AL

  • Satisfeitos – 51% (média nacional: 55%)
  • Insatisfeitos – 15% (média nacional: 14%)

Aprovação a serviços digitais municipais entre cidadãos em AL

  • Satisfeitos – 46% (média nacional: 54%)
  • Insatisfeitos – 17% (média nacional: 13%)

De maneira similar à observada no estudo nacional, em Alagoas, a experiência com compras privadas atinge níveis mais elevados de satisfação do que os observados com os serviços públicos:

Experiência com serviços digitais privados (avaliação da última compra on-line)

  • Boa ou muito boa – 78% (média nacional: 85%)
  • Rui ou muito ruim – 4% (média nacional: 3%)

Conectividade

Realizada pelo BID para incentivar governos a consolidarem a digitalização acelerada pela pandemia, a publicação traz dados de uso de serviços digitais públicos e privados, avaliação dos serviços, preferência de uso dos serviços e dados de conectividade. Em todos os quesitos, o critério utilizado é a autodeclaração dos entrevistados.

Nas entrevistas, 96% dos alagoanos afirmaram acessar a internet pelo aparelho celular e 90% por meio de Wi-Fi em casa. As médias brasileiras são de 95% e 87%, respectivamente.

Os participantes em AL também afirmaram que a principal forma de acesso a serviços digitais públicos e privados é o celular (80%, enquanto a média nacional é 87%). Por fim, 41% dos participantes relataram ter feito procedimentos por meio digital ou telefônico com o Governo do seu estado nos últimos 12 meses (a média nacional é de 40%).

Sobre a pesquisa

Terceira de uma série de quatro publicações com o mote “Transformação digital dos governos brasileiros”, a pesquisa é realizada em um contexto em que o poder público precisará otimizar o uso de seus recursos, afetados pela crise pandêmica. Nesse sentido, a digitalização é uma saída estratégica para manter e até ampliar o oferecimento de serviços públicos de maneira mais custo-efetiva.

O primeiro estudo da série, publicado em janeiro de 2021, apresentou um diagnóstico sobre a maturidade das políticas de transformação digital em governos estaduais e no Distrito Federal, com base em informações declaradas pelas autoridades de governo digital em cada estado. E o segundo, publicado recentemente, trouxe os dados do estudo de agora, mas compilados em nível nacional.

Por fim, o quarto e último relatório será uma pesquisa de profundidade sobre os avanços e desafios da transformação digital baseada em múltiplas fontes, como as coletadas pela ABEP-TIC para a elaboração do Índice de Oferta de Serviços Públicos Digitais, os indicadores produzidos pelo CETIC.br e os microdados desta pesquisa de agora.

Sobre o BID

O Banco Interamericano de Desenvolvimento tem como missão melhorar vidas. Criado em 1959, o BID é uma das principais fontes de financiamento de longo prazo para o desenvolvimento econômico, social e institucional da América Latina e o Caribe. O BID também realiza projetos de pesquisas de vanguarda e oferece assessoria sobre políticas, assistência técnica e capacitação a clientes públicos e privados em toda a região.

Fonte: Assessoria

Comentários

MAIS NO TH