Tecnologia

21 de setembro de 2020 08:11

Seminário virtual debate dívida pública e privatização da água nesta terça

Evento acontece às 19 horas, no Canal do Youtube da ACD (https://www.youtube.com/user/auditoriadidada).

↑ (Foto: Assessoria)

A Auditoria Cidadã da Dívida Pública (ACD) e as entidades sindicais realizarão o Seminário virtual Dívida Pública e Privatização da Água, nesta terça-feira (22), às 19 horas, no Canal do Youtube da ACD (https://www.youtube.com/user/auditoriadidada).

A realização do Seminário é importante para que a sociedade entenda o que está em jogo com o leilão da privatização da Casal (Companhia de Saneamento de Alagoas), marcado para o dia 30 deste mês.

Participarão da Mesa do Seminário: Maria Lucia Fattorelli, coordenadora nacional da Auditoria Cidadã da dívida; José Menezes, Professor de Economia da Ufal e Coordenador do Núcleo Alagoano da ACD e Dafne Orion, presidente do Sindicato dos Urbanitários.

Por que todos devem se engajar na luta contra a privatização da Casal?

A população de Alagoas, que precisa de água, especialmente neste momento de pandemia, necessita saber que a privatização da Casal resulta do processo de renegociação da dívida pública alagoana, conforme consta na Lei Complementar nº 156/2016, que alongou a dívida por mais 20 anos, exigindo a privatização de todas empresas estatais que restam. Dessa forma, depois de privatizar a Ceal por R$ 50 mil, agora o governo Renan filho pretende privatizar a Casal.

Neste processo, é importante lembrar que uma parte grande da atual dívida alagoana se originou da liquidação do Produban. Ou seja, uma dívida produzida pelos usineiros que continua a ser paga e que agora exige a entrega da Casal. Enquanto isso, uma parte da população vai pagar a água cada vez mais cara e a outra vai ficar sem água. Isso se deve porque o governo pretende entregar ao setor privado a área metropolitana de Maceió, e a Casal ficará para atender as cidades do sertão. Já a área de Arapiraca foi privatizada. Desta forma, sem subsídio cruzado, onde as regiões de maior renda financiam as regiões de menor renda, os municípios do sertão ficarão sem abastecimento.

O BNDES também está exigindo a privatização da água, mas esse mesmo banco público liberará 80% do dinheiro para a privatização da Casal. É o BNDES que financiará a compra da Casal.

É fundamental que a sociedade alagoana entre na luta para garantir o acesso à água para todos.

Quem sofrerá com a privatização?

Com a privatização, a conta da água se tornará mais cara e poucos poderão pagá-la. A população carente ficará sem água.

A privatização irá pôr fim ao subsídio cruzado, que funciona para o equilíbrio de atendimento à toda a população. O município maior e mais rico, como Maceió, ajuda a pagar os custos da água em cidades menores e mais pobres. Sem o subsídio, os mais pobres jamais teriam água da Casal em casa porque o valor da tarifa será mais caro. Mais de 50% da população de Alagoas correm o risco de ficar sem água tratada.

 A importância da água para o combate à Covid 19?

O acesso à água é fundamental para combater à Covid-19. A lavagem regular das mãos combate a Covid-19 e outras doenças. O governo tem que garantir o acesso à água abundante e limpa para toda a população.

Casal é uma empresa superavitária

A Casal é uma empresa superavitária. No ano passado, deu lucro de R$ 62 milhões ao Estado.

Entidades que organizam o seminário

O Seminário está sendo organizado pela Auditoria Cidadã da Dívida, Sindpol, Urbanitários, Sindjus-AL e Sindprev.

Comentários

MAIS NO TH