Tecnologia

12 de setembro de 2020 20:51

Google anuncia que não irá sugerir buscas sobre candidatos e eleições

Segundo o Google, o objetivo é evitar termos que possam parecer apoio ou crítica a qualquer candidato ou partido político

↑ Google (Foto: Ilustração)

A menos de dois meses da eleição presidencial dos Estados Unidos, o Google anunciou mudanças no recurso de autocompletar buscas. A empresa informou que vai deixar de exibir sugestões em pesquisas relacionadas a candidatos e eleições. A ideia é evitar “termos que possam ser interpretados como manifestações a favor ou contra qualquer candidato ou partido político”.

O buscador também deixará de exibir sugestões para pesquisas relacionadas a métodos de votação, requisitos para votar, situação de sessões eleitorais e integridade da eleição, por exemplo. Com isso, buscas sobre doações não deverão ser completados com nomes de qualquer um dos candidatos. A mudança, é claro, não impedirá usuários de pesquisarem por qualquer informação.

A maioria das sugestões da pesquisa segue inalterada, segundo o Google. A decisão, no entanto, aponta para a preocupação de evitar críticas sobre a parcialidade do buscador. A empresa costuma ser alvo de reclamações de políticos conservadores, incluindo o presidente americano Donald Trump, sobre uma suposta manipulação de resultados para prejudicar discursos conservadores.

O Google alega que seus produtos não são politicamente tendenciosos e que o algoritmo do buscador passa por avaliações rigorosas antes de receber alterações. Ainda assim, a ideia principal parece ser justamente a de afastar acusações. Ao anunciar a atualização, a companhia afirmou que, com a pandemia do novo coronavírus, tornou-se ainda mais importante oferecer informações confiáveis e imparciais sobre eleições.
Google adotou mais medidas contra desinformação

Em seu anúncio, o Google também apresentou novas medidas para evitar desinformação em seu buscador. Uma delas é Intelligence Desk, uma equipe de analistas que monitora notícias ao redor do mundo e sinaliza eventuais campanhas de desinformação. O serviço recebeu ainda uma mudança no algoritmo para dar mais destaque às checagens de fatos em buscas sobre notícias recentes.

A empresa também melhorou a detecção de vandalismos na Wikipédia, que fornece informações dos painéis que aparecem ao lado dos resultados convencionais. Agora, o buscador possui uma camada de proteção que identifica 99% das edições maliciosas e alerta rapidamente os editores da enciclopédia.

Fonte: Tecnoblog / Texto: Victor Hugo Silva

Comentários

MAIS NO TH