Tecnologia

11 de março de 2020 14:48

Google pede que funcionários trabalhem de casa por conta do coronavírus

Determinação foi feita aos escritórios dos EUA e do Canadá, que somam mais de 100 mil funcionários

↑ Google (Foto: llustração)

O surto de coronavírus tem feito várias empresas mudarem suas rotinas. Para evitar espaços com muitas pessoas, o Google pediu para seus funcionários nos Estados Unidos e no Canadá trabalharem de casa no mínimo até 10 de abril.

Os escritórios nos dois países contam com mais de 100 mil funcionários. Na semana passada, a empresa já havia recomendado o trabalho remoto e proibido a visita de terceiros em alguns dos seus escritórios nos EUA.

“Todos os escritórios na América do Norte agora têm recomendação para trabalho remoto, se as funções permitirem”, diz a empresa à CNBC. “Nosso objetivo é reduzir a densidade de pessoas nos escritórios, o que especialistas sugerem que pode diminuir a propagação do COVID-19 e reduzir a carga sobre a comunidade local e os recursos de saúde”.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, os EUA têm 696 casos confirmados e 25 mortes pelo coronavírus. No Canadá, são 79 casos e 1 morte. A China, país mais afetado pelo surto, registra mais de 80 mil casos e 3 mil mortes.

O Google também recomendou o trabalho à distância para vários de seus escritórios na Europa e pediu que as unidades em outras regiões levem em conta a situação local. O Tecnoblog perguntou à empresa se há alguma mudança prevista para escritórios no Brasil e atualizará esse post em caso de resposta.

Google promete compensar trabalhadores afetados

Em comunicado publicado em seu blog, o Google indicou que os prestadores de serviço que recebem por hora trabalhada não serão prejudicados. A empresa criou um fundo para oferecer licença médica para quem for diagnosticado com o COVID-19 ou estiver em quarentena.

“Esse fundo fará os membros de nossa força de trabalho estendida serem compensados pelo expediente normal se não puderem trabalhar por esses motivos”, indica o Google. A medida também foi adotada pela Uber, que manterá pagamentos para motoristas afetados pelo coronavírus.

Além dos escritórios, a empresa teve eventos alterados devido ao surto. O Google I/O, conferência anual para desenvolvedores, estava previsto para acontecer em maio, mas foi cancelado, assim como a MWC 2020 e a F8 do Facebook.

Fonte: Tecnoblog / Texto: Victor Hugo Silva

Comentários

MAIS NO TH