Tecnologia

21 de outubro de 2019 15:52

Prefeito Rui Palmeira institui Conselho de Ciência, Tecnologia e Inovação

Foram empossados 36 membros, entre titulares e suplentes, representantes do Poder Executivo Municipal, do setor produtivo e das instituições de ensino superior

↑ Prefeito Rui Palmeira, durante a posse do Conselho Municipal de Ciência, Tecnologia e Inovação (Foto:Marco Antônio / Secom Maceió)

Na manhã desta segunda-feira, 21, foi oficialmente instituído o Conselho Municipal de Ciência, Tecnologia e Inovação (CMCTI). A solenidade contou com a presença do prefeito Rui Palmeira e foi realizada na sede da Associação Comercial de Maceió, no bairro de Jaraguá. Na ocasião, foram empossados 36 membros, entre titulares e suplentes, representantes do Poder Executivo Municipal, do setor produtivo e das instituições de ensino superior.

O Conselho possui natureza deliberativa, consultiva e propositiva, e tem o objetivo de formular, propor e acompanhar estratégias e ações para promoção da ciência, tecnologia e inovação, bem como políticas de captação e alocação de recursos.

De acordo com o prefeito Rui Palmeira, a posse dos membros do CMCTI é mais um passo importante para colocar em prática a política dedicada à temática de inovação tecnológica. “Será por meio do CMCTI que vamos colocar as ações em prática, como, por exemplo, pagamento de bolsa, contratação de apps, desenvolvimento de soluções para a cidade. É usar a tecnologia em prol do cidadão, facilitando a vidas dessas pessoas”, destacou.

A instituição do CMCTI está de acordo com a Lei de Inovação de Maceió, Lei n° 6.902, de 26 de junho de 2019, que institui a Política Municipal de Ciência, Tecnologia e Inovação.

A secretária de Governança, Íria Almeida, disse que o Conselho é uma iniciativa inovadora da gestão municipal. “O Conselho vai ser responsável pela primeira edição do prêmio Nova MCZ, que terá o objetivo de reconhecer iniciativas de inovação educacional, além de gerir o Fundo de Inovação, entre outras ações”, explicou Almeida, afirmando que a a cada reunião serão reservadas 20 vagas para a sociedade participar das reuniões.

Instituições Integrantes

O evento contou ainda com a presença de integrantes do Sistema Municipal de Ciência, Tecnologia e Inovação (SMCTI), gestores municipais, representantes de instituições de ensino superior, de instituições privadas e diversos outros atores do ecossistema local de ciência, tecnologia e inovação.

Para o Fábio Guedes, diretor presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas (Fapeal), uma das instituições integrantes do CMCTI, a criação desse Conselho permite a discussão sobre os rumos que a cidade pode tomar em várias áreas. “No plano de mobilidade urbana, ciência, pesquisa, investimento e fomento a atividades empreendedoras. Além disso, é um excelente canal de diálogo com o governo do Estado e suas instituições, como a Secretaria de Ciência e Tecnologia, bem como a própria Fapeal”, ressaltou.

Setor de Inovação

De acordo com o empresário do ramo de inovação, André Braga, dono da Zero Time, startup na área de saúde, a tecnologia veio romper fronteiras. Para ele, não se admite mais que um governo não usufrua desse suporte. “O Conselho é uma forma de nós, empresários e a população, estarmos mais próximos da Prefeitura. Acredito muito que essa ligação vai estreitar os laços e reduzir o tempo para se resolver os problemas na área de tecnologia”, disse.

A formação paritária (igualitária) do CMCTI demonstra a intenção da Prefeitura de conduzir a implementação da política pública de forma colaborativa, dividindo as responsabilidades entre os setores para assegurar uma política de estado.

Campo Universitário

Conforme Jessé Marques, professor do Cesmac e membro do Conselho, academia não pode ficar desassociada do restante da sociedade. “Tudo que fazemos é pensando em melhorar o viés social, a economia e qualquer outro ramo que o estado pretende avançar. Como temos no nosso Centro Universitário os núcleos de inovação tecnológica e de robótica, então juntaremos esses setores com os estudantes e pensaremos em soluções para melhorar nosso Estado”, pontuou.

Setor Produtivo

Eliana Sá, conselheira pela Federação das Indústrias, considera que a capital alagoana pode aproveitar mais um leque de oportunidade, agora no setor de inovação. “Maceió é uma cidade turística, que tem uma grande quantidade de talentos que pode transformar Maceió em uma cidade inteligente e inovadora”, disse Eliana, que parabenizou a Prefeitura por criar um conselho dedicado ao tema de tecnologia.

Renata Fonseca, gerente de Políticas Públicas do Sebrae, também comentou a relevância do evento desta segunda-feira. “O CMCTI vai tirar a Lei de Inovação do papel, fomentando o empreendedorismo inovador na capital. Isso vai possibilitar mais eficiência para os serviços públicos, melhorando a arrecadação”, afirmou.

O evento de posse do Conselho também contou com a palestra “Regramento de Ciência, Tecnologia e Inovação: possibilidades para os ambientes de inovação brasileiros”. Realizada por Carolina Leite Amaral Fontoura, assessora jurídica do Parque Tecnológico do Rio de Janeiro há cinco anos. Para ela, Maceió dá um passo gigante com a implantação do CMCTI. “O que queremos é grande. Queremos inovar o Brasil. Isso começa nos municípios. Fico muito feliz de rodar o Brasil debatendo o assunto e estou muito animada em fazer parte desse momento em Maceió”, comentou.

Veja os membros do Conselho:

Membros

1 – Gabinete de Governança (GGOV)

Íria Rocha Cavalcante de Almeida (membro titular);

Arypuanã Capuxy Santiago (suplente);

2 – Secretaria Municipal de Gestão (SEMGE)

João Geraldo de Oliveira (titular);

José Eduardo Santana (suplente);

3 – Secretaria Municipal de Economia (SEMEC)

Gilberto Neves Pinto Meister (titular);

Manoel Messias Ferreira da Costa (suplente);

4 – Agência Municipal de Regulação de Serviços Delegados (ARSER)

Rodrigo Borges Fontan, (titular);

Ana Carolina Beltrão (suplente);

5 – Procuradoria-Geral do Município (PGM)

Diogo Silva Coutinho (titular);

Rodrigo Albuquerque (suplente);

6 – Câmara Municipal de Maceió

Samyr Malta (titular);

José Márcio de Medeiros (suplente);

7 – Associação Comercial de Maceió

Ibsen Mateus Bittencourt (titular), substituído em sua ausência por Lucas Mikie Omena (suplente) Associação Comercial de Maceió;

8 – Sistema Federação do Comércio do Estado de Alagoas (Fecomércio);

Telma Maria Ribeiro (titular);

Felipe Falcão, (suplente);

9 – Sistema Federação das Indústrias do Estado de Alagoas (FIEA)

José da Silva Nogueira (titular);

Eliana Maria de Oliveira (suplente);

10 – Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Estado de Alagoas (Sebrae/AL)

Marcos Antônio da Rocha (titular);

Ronaldo de Moraes (suplente);

11 – Associação das Empresas Brasileiras de Software e Serviços de Informática Regional de Alagoas (ASSESPRO/AL)

Jean Paul Torres, (titular), substituído em sua ausência por João Luiz Quintiliano (suplente);

12 Universidade Federal de Alagoas (UFAL)

Eliana Silva de Almeida (titular);

André Luiz Lins (suplente);

13 – Centro Universitário Tiradentes (UNIT)

Bruno Rodrigues Bessa (titular);

Daniela do Carmo (suplente);

14 – Centro Universitário Cesmac

Jessé Marques da Silva (titular);

Mayara Andrade (suplente);

15 – Faculdade de Tecnologia de Alagoas (FAT)

Pedro Tenório Mascarenhas Neto (titular) substituído em sua ausência por Mmiquelysson Meira Lins (suplente);

16 – Instituto Federal de Alagoas (IFAL)

Eunice Palmeira da Silva (titular);

Álvaro José de Oliveira (suplente);

17 – Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Alagoas (OAB/AL)

Nathália Fernanda Lopes (titular);

Branca Alves Miranda (suplente);

18 – Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas (Fapeal)

Fábio Guedes Gomes (titular);

João Vicente Ribeiro , membro (suplente).

Fonte: Secom Maceió

Comentários

MAIS NO TH