Tecnologia

21 de outubro de 2019 16:30

Facebook remove campanhas de desinformação e age para evitar interferência em eleições

Anúncio acontece antes das eleições presidenciais de 2020 nos Estados Unidos

↑ Uma tarja informando quando fotos e vídeos no Instagram e no Facebook têm conteúdo falso será adicionada às redes sociais no próximo mês (Foto: Divulgação / Facebook)

O Facebook afirmou nesta segunda-feira (21) que encontrou e removeu quatro operações de desinformação financiadas por Estados. A atitude da rede social é parte dos preparativos para reduzir a influência de poderes estrangeiros nas eleições de 2020 nos Estados Unidos.

Três das operações vieram do Irã e uma delas da Rússia, afirmou o Facebook. As publicações dessas campanhas de desinformação atingiram pessoas no norte da África, na América Latina e nos EUA.

A rede social disse que a remoção aconteceu baseada no método de operação e não no conteúdo das postagens — as pessoas por trás dessas campanhas usavam contas e páginas falsas no Facebook e no Instagram.

“Nós identificamos essas campanhas de manipulação como parte de uma investigação interna sobre comportamento não autêntico relacionado ao Irã e do trabalho pró-ativo que está acontecendo antes das eleições americanas”, disse o Facebook em nota.

A empresa anunciou também uma série de medidas para “ajudar a proteger o processo democrático” antes das eleições americanas. Essas iniciativas giram em torno de três pontos principais: aumento da transparência, combate à interferência estrangeira e redução de desinformação.

Boatos e virais

O Facebook anunciou que no próximo mês começa a valer uma iniciativa para coibir boatos e desinformação na rede social e também no Instagram.

A empresa vai começar a cobrir fotos e vídeos que já foram marcados como falso por checadores independentes. Esses conteúdos receberão uma tarja, como a que já cobre vídeos violentos, por exemplo e contarão com um link para as checagens externas.

Segundo a empresa, esse conteúdo vai ser marcado dessa maneira “para que as pessoas possam decidir por elas mesmas o que ler, confiar e compartilhar”.

O Facebook também afirmou que já diminui o alcance de informações falsas: elas aparecem com menos frequência na rede social e no Instagram são removidas de hashtags, da páginas explorar e é mais difícil encontrar um perfil conhecido por compartilhar boatos.

Fonte: G1

Comentários

MAIS NO TH