Tecnologia

19 de julho de 2019 18:05

Google vai impedir que sites detectem modo de navegação anônima no Chrome

Muitos sites pedem que o usuário faça login para continuar acessando-o, já que detectam uma navegação particular

↑ Navegação anônima (Imagem: Reprodução)

O modo de navegação anônima do Chrome não funciona tão bem quanto o prometido. Alguns sites agora conseguem identificar quando um usuário está em uma sessão privada e solicitam login para que o site possa ser acessado, o que invalida todo o caráter “privado” da sessão. Isso acontece muito em sites de notícias como o The New York Times, que exigem uma assinatura para acessar matérias. Felizmente, para os usuários, o Google está se preparando para corrigir essa falha.

A empresa usará a versão de 30 de julho do Chrome 76 para fechar uma “brecha” em que os sites poderiam verificar a estrutura do sistema de arquivos do Google Chrome (recurso que é desativado no modo de navegação anônima) e usar sua ausência para detectar uma sessão particular. O Google também alterará outros métodos de detecção no futuro.

O gigante da internet diz que é uma questão de respeitar o propósito do modo anônimo: manter a privacidade. Embora as pessoas usem a navegação privada para se esquivar dos paywalls de sites – como o do NYT-, alguns podem ter motivos sérios para permanecerem invisíveis, como evitar um parceiro abusivo ou opressão política, por exemplo.

O Google sugere que os sites que se sintam prejudicados pela correção do modo anônimo mudem seus sistemas de paywall ou considerem modalidades de acesso gratuito mais generosas. Porém, essas soluções podem não agradar muito empresas que dependem de assinantes para sobreviver.

Veículos como o New York Times detectam o modo de navegação anônima em uma tentativa de rastrear o número de leitores, incitar as pessoas a se inscrever ou ambos. É improvável que aceitem as alterações do Google sem uma briga, mesmo que o dano seja limitado.

Fonte: Olhar Digital

Comentários

MAIS NO TH