Tecnologia

14 de Maio de 2018 15:54

Facebook suspende 200 aplicativos sob suspeita de acesso a dados de usuários

Rede social faz auditoria em apps que violam privacidade do usuário

↑ Foto: Reprodução

O Facebook já baniu cerca de 200 aplicativos acusados de fazer uso indevido de dados dos usuários. O anúncio foi feito nesta segunda-feira (14) em uma nota oficial enviada para a imprensa. Esta é uma primeira atualização referente a auditoria prometida por Mark Zuckerberg em março, após o estouro do caso Cambridge Analytica.

A auditoria foi uma das medidas anunciadas pela rede social como resposta ao público sobre o vazamento de informações confidenciais para empresas. O objetivo é descobrir e eliminar apps de terceiros que usam dados de usuários de forma abusiva, contrariando as políticas do Facebook.

O processo de investigação do Facebook possui duas fases. A primeira é uma revisão geral para identificar os apps que armazenam grande quantidade de dados. A outra é uma análise mais aprofundada junto aos desenvolvedores desses apps, incluindo entrevistas e até mesmo inspeções locais.

Os alvos da ação são apps que tiveram acesso a uma grande quantidade de dados antes da alteração de política da plataforma feita em 2014. Foi a partir daquele ano que o Facebook deixou claro que o compartilhamento de informações de terceiros sem o consentimento viola os termos de uso da rede.

Os próprios usuários também podem ajudar no processo de denúncia desses aplicativos inapropriados. Em abril, a rede social lançou um programa de recompensas para identificar apps que usam dados indevidamente. O “Data Abuse Bounty” oferece um pagamento de, no mínimo, R$ 1.700 para quem fizer uma denúncia que seja confirmada.

Assim como ocorreu no caso Cambridge Analytica, os usuários afetados pelo uso de um app banido também serão notificados. A seção “Your Info”, do site do Facebook, (facebook.com/help/yourinfo) permite verificar se você ou seus amigos instalaram um aplicativo que fez uso indevido dos dados antes de 2015.

Fonte: TechTudo / Texto: Gabriel Ribeiro

Comentários

MAIS NO TH