Tecnologia

30 de novembro de 2016 10:55

Uber defende modelo de negócio para evitar regras rígidas da União Europeia

Mais alta corte do bloco europeu julga se empresa respeita lei corretamente

↑ Vítima ficou trancada dentro de porta-malas por bandidos (Foto: Ilustração)

O Uber defendeu seu modelo de negócios no tribunal mais alto da Europa nesta terça-feira (29), em um processo que pode levar empresas iniciantes que usem aplicativos a enfrentar regulação mais rigorosa. A companhia argumentou que seu serviço facilitou a mobilidade das pessoas e reduziu a poluição.

O aplicativo, levado para a Europa há cinco anos, tem sido atacado por taxistas e países da União Europeia por não estar sujeito às regras locais de licenciamento e segurança aplicáveis ??aos concorrentes.

A disputa do Uber com o principal operador de táxi de Barcelona, ??que em 2014 o acusou de dirigir um serviço de táxi ilegal pelo serviço UberPOP, é vista como referência que pode levar o Tribunal de Justiça da União Europeia a classificá-lo como uma empresa de transporte em vez de serviço digital.

A decisão sujeitaria a empresa a regras mais rígidas sobre licenciamento, seguro e segurança, com possíveis efeitos para outras startups, como as empresas de aluguéis rápidos Airbnb e de entrega de alimentos Deliveroo.

Também pode limitar os esforços da Comissão Europeia para impulsionar o comércio eletrônico, setor em que a UE está atrás da Ásia e dos Estados Unidos, para impulsionar o crescimento econômico e criar postos de trabalho.

O Uber é avaliado em mais de US$ 60 bilhões. Entre os investidores estão Goldman Sachs e GV, antes conhecido como Google Ventures. O aplicativo tem enfrentado protestos, proibições e ações legais em todo o mundo, incluindo nos Estados Unidos e em grande parte da Europa, pois perturba as práticas comerciais existentes.

Fonte: Reuters / G1

Comentários

MAIS NO TH