Saúde

7 de dezembro de 2021 17:57

Sesau inscreve agentes comunitários de saúde para capacitação sobre hanseníase

Treinamento acontece de forma on-line, das 8h às 12h30, através da plataforma Zoom

↑ Capacitação para os agentes de saúde tem o objetivo de assegurar que diagnóstico seja realizado no município de origem do portador da doença (Foto: Olival Santos / Ascom Sesau/AL)

A Secretária de Saúde do Estado (Sesau), por meio da Gerência de Ações Estratégias (GAEST), promove capacitação sobre Suspeição, Diagnóstico e Tratamento da Hanseníase para agentes comunitários de saúde na Atenção Primária. O treinamento, que acontece de forma on-line, das 8h às 12h30, através da plataforma Zoom, será destinado aos agentes da I Macrorregião de Saúde no dia 10 deste mês; já os agentes da II Macrorregião de Saúde, serão capacitados no próximo dia 15.

Os agentes comunitários de saúde da I Macrorregião de Saúde devem realizar suas inscrições até a quinta-feira (9), clicando aqui neste link. Já os técnicos da II Macrorregião de Saúde, poderão se inscrever até o próximo dia 14, acessando este link.

A hanseníase é uma doença infecciosa de evolução crônica, de notificação compulsória em todo território nacional, de investigação obrigatória, com comportamento insidioso, podendo promover incapacidades funcionais permanentes, gerando exclusão, estigma e preconceito. É uma patologia de registro milenar que possui cura, com tratamento e acompanhamento ofertado no Sistema Único de Saúde (SUS).

De acordo com a coordenadora do Programa Estadual de Combate à Hanseníase, Itanielly Queiroz, devido à pandemia do Covid-19, o número de casos novos notificados reduziu consideravelmente. Em função disso, o Ministério da Saúde (MS) lançou a proposta de realização da Semana de Mobilização Nacional para Enfrentamento da Hanseníase.

“Iniciaremos com a capacitação dos agentes comunitários de saúde e, em seguida, o encaminhamento dos casos suspeitos para uma unidade de saúde durante a semana de mobilização. Com isso, faremos a confirmação ou não do diagnóstico, tratamento e acompanhamento dos casos identificados, além de realizarmos a capacitação em coleta e em leitura de lâminas de baciloscopia”, explicou Itanielly Queiroz.

Ainda segundo a coordenadora, por ser o diagnóstico da hanseníase clínico, por meio do exame físico, é preciso que a Atenção Básica tenha segurança e domínio no diagnóstico, além de acompanhar todos os pacientes de seu território. “Para tanto, o processo de capacitação e atualização online, dos profissionais de saúde, vem acontecendo desde maio, com o objetivo de fortalecer o enfrentamento da hanseníase em Alagoas”, salientou.

Fonte: Ascom Sesau/AL / Texto: Ruana Padilha

Comentários

MAIS NO TH