Saúde

11 de maio de 2021 08:14

Fake news sobre uso da ivermectina preocupa CRF de Alagoas

Secretário-geral do Conselho diz que a procura pelo remédio aumentou nos últimos meses em Alagoas

↑ Secretário-geral do CRF, Daniel Fortes destaca que informações falsas estimulam automedicação: “isso é um risco para a saúde da população” (Foto: Jonathan Canuto)

Não é de agora que tem circulado nas redes sociais uma campanha para que a população faça uso da ivermectina como prevenção da Covid-19. No entanto, as informações divulgadas são consideradas fake news por vários órgãos de saúde e especialistas da área. Ao TH Entrevista desta semana, o secretário-geral do Conselho Regional de Farmácia de Alagoas (CRF/AL), Daniel Fortes, explica que vários medicamentos estão sendo procurados como aliados na prevenção e combate ao novo coronavírus, mesmo sem eficácia comprovada.

“Isso vem trazendo uma grande preocupação para o conselho. Alertamos que não existem evidências clínicas de que este medicamento ajude no tratamento da Covid-19. A própria farmacêutica norte-americana MSD (Merck Sharp and Dohme), que produz a ivermectina, afirmou em entrevista ao portal UOL, em fevereiro deste ano, que ainda não há evidências de que o medicamento traga benefícios ou seja eficaz no tratamento de pacientes com a doença”, alerta Fortes.

Daniel conta que todo o CRF/AL, além de outros órgãos e entidades da área estão preocupados com a replicação de informações falsas. “Essas informações acabam estimulando a automedicação, que é um risco para a saúde da população. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) calcula que 18% das mortes por envenenamento no Brasil podem ser atribuídas à automedicação. No nosso país, a automedicação é um problema’’.

De acordo com Daniel Fortes, a ivermectina é um antiparasitário de baixo potencial de toxicidade desde que ele seja indicado e usado da forma correta. Contudo, o que o CRF/AL tem observado é uso indiscriminado do medicamento e o resultado tem sido hepatite medicamentosa em alguns pacientes.

Apesar de não ter dados concretos, Fortes afirma que a procura por este e demais medicamentos atribuídos  como aliados no tratamento da Covid-19, inclusive pelo Presidente Jair Bolsonaro, é a alta procura nas farmácias.

“Diante de tantas informações sobre tratamentos medicamentosos para a Covid-19, a população vai até a farmácia comprar o medicamento, sem acompanhamento de um profissional de saúde e faz o uso de maneira incorreta. A prevenção é seguir as medidas sanitárias de distanciamento social, de lavagem das mãos, de uso de álcool gel e de não aglomerar”, pontua.

O conselho alerta que as pessoas devem buscar os sites de confiança, incluídas as fontes oficiais como a Sesau, o Ministério da Saúde, o Conselho de Medicina e o próprio CRF/AL, para tirar as dúvidas e não cair em fake news.

“Pedimos para que a população busque a veracidade com o profissional de saúde da sua confiança, bem como em páginas confiáveis e evitem as redes sociais para se informar sobre medicamentos, tratamentos e doenças”, orienta Fortes.

 

Fonte: Tribuna Independente / Lucas França

Comentários

MAIS NO TH