Saúde

6 de maio de 2021 10:30

AMA cobra esclarecimento sobre eficácia da vacinação com prazo estendido

Hugo Wanderley, solicita a elaboração de um esclarecimento técnico por infectologista

↑ Hugo Wanderley (Foto: Sandro Lima)

Com a redução de imunizantes contra a Covid-19, que é destinada pelo Ministério da Saúde (MS), o período para aplicação da segunda dose da Coronavac foi estendido em todo Estado, o que é permitido pelo fabricante e está previsto na bula da vacina. Porém, mais de 84 municípios estão com o prazo vencido por não ter doses suficientes e outros 17 estão com a vacinação suspensa, mas ainda no cronograma de 28 dias para aplicação. Os dados foram repassados pelo Cosems/AL. Por isso, o presidente da AMA, Hugo Wanderley, solicita a elaboração de um esclarecimento técnico por infectologista sobre a eficácia com prazo estendido de vacinação.

“O prazo ideal para aplicação da segunda dose é de 21 dias. A capacidade de produção do Instituto Butantan foi reduzida por falta de insumos, o que afetou o andamento da segunda dose. Por isso, nós precisamos de uma nota técnica conjunta, com um laudo de infectologista, que explique a eficácia da vacina mesmo sendo usada com um intervalo maior que 28 dias. Porque o nosso papel, neste momento, é explicar, orientar e acalmar a população de cada município, já que há uma aflição com relação ao ritmo da imunização”, disse Hugo, que defende a divulgação dos testes clínicos sobre a resposta imunológica da vacina em prazo maior.

Para a situação ser resolvida nos municípios com prazo vencido ou suspenso, de acordo com o Conselho de Secretarias Municipais de Saúde de Alagoas (Cosems/AL), ainda há a necessidade de 35 mil doses, que será dividida em duas remessas a partir de sexta (7) até o segunda (10), quando existe a previsão da chegada de mais imunizantes em Alagoas. Na última reunião da Associação, o presidente do Cosems/AL expôs a preocupação da entidade com relação ao quantitativo insuficiente de doses recebidas da D2 da Coronavac.

A extensão do prazo foi pactuada entre o Estado e os municípios alagoanos por meio da Resolução da Comissão Intergestora Bipartite (CIB) número 014, de 22 de abril de 2021. A resolução foi publicada em edição suplementar no Diário Oficial do Estado (DOE). Enquanto a nota técnica sobre a eficácia não é elaborada com a orientação do infectologista, a Associação dos Municípios Alagoanos (AMA) pede que a população preste atenção no cronograma de vacinação para tomar a segunda dose da Coronavac e, caso tenha a suspensão no município, acrescente os dias informados pela prefeitura no cartão de vacinação.

Fonte: Ascom AMA

Comentários

MAIS NO TH