Saúde

27 de maio de 2020 16:27

Mais de 300 pacientes com Covid-19 são atendidos no Hospital da Mulher em 56 dias

Dos 100 leitos disponibilizados, 88 estavam ocupados até a tarde de terça-feira (26); coordenador da UTI faz apelo para que a população respeite o isolamento

↑ Coordenador da UTI faz apelo para que a população respeite o isolamento (Foto: Marcel Vital / Agência Alagoas)

Desde que foi transformado em Centro de Atendimento da Covid-19, no início de abril deste ano, o Hospital da Mulher Dr.ª Nise da Silveira, localizado no bairro Poço, em Maceió, já atendeu 355 pacientes. Do total, 145 (41%) receberam alta hospitalar.

Entre os pacientes que se recuperaram da Covid-19 e receberam alta médica está o aposentado José Laurentino, de 73 anos. Ele deixou o hospital depois de uma semana internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para tratamento de Covid-19 e está recuperado da doença.

De acordo com a filha de seu José Laurentino, Audaléia Freire Gueiros, de 37 anos, e sua neta Elizama Freire Gueiros da Silva, de 21 anos, o idoso deu entrada na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Benedito Bentes em virtude da falta de apetite. Ao passar três dias na UPA, ele precisou ser transferido rapidamente para o Hospital da Mulher, pois seu estado de saúde agravou.

Ele chegou à unidade hospitalar com confirmação positiva para Covid-19, já que tinha sido feito o teste rápido na UPA. O coordenador médico do Centro de Terapia Intensiva Covid-19 do Hospital da Mulher, Luiz Guilherme Almeida, explicou que o paciente José Laurentino deu entrada ali muito debilitado, pelo fato de ele ser hipertenso e ter doença renal crônica agudizada – quando há uma diminuição lenta e progressiva da capacidade dos rins de filtrar os resíduos metabólicos do sangue.

“O paciente evoluiu com grave quadro de sepse [infecção generalizada] por infecção viral pulmonar. O estado de saúde era grave, visto que foi necessária terapia renal substitutiva por hemodiálise, o que recuperou a sua saúde ao longo dos dias em que esteve interno”, disse o médico Luiz Guilherme Almeida.

Ocupação de Leitos

Mesmo diante da gravidade da Covid-19, conforme constatou o aposentado José Laurentino, que felizmente se recuperou, muitos alagoanos ainda têm negligenciado as orientações para ficarem em isolamento social e, caso precisem sair, fazerem uso da máscara. Por conta disso, nesta terça-feira (26), dos 100 leitos disponibilizados pelo Hospital da Mulher para atender pacientes com a Covid-19, a UTI adulto estava totalmente ocupada, uma vez que os 40 leitos disponíveis estão preenchidos.

Já quanto aos 10 leitos de UTI Pediátrica, seis estão preenchidos, o que representa uma taxa de ocupação de 60%. No que se referente à taxa de ocupação dos leitos clínicos, 43 dos 50 estão preenchidos, o que equivale a 86%.

Essa realidade preocupa o coordenador da UTI Adulto Covid-19 do Hospital da Mulher, Luiz Guilherme de Almeida. Isso porque o número de pacientes internados nas últimas semanas tem crescido muito, aumentando o sinal de alerta entre os integrantes da equipe multidisciplinar.

“O Governo do Estado transformou o Hospital da Mulher no maior Centro de Terapia Intensiva no que diz respeito ao combate da Covid-19 em Alagoas. A nossa taxa de ocupação já está chegando ao limite. Por isso, é muito importante que a população continue ajudando a achatar a curva de crescimento da pandemia, usando máscara e ficando em casa”, defende o especialista.

Fonte: Agência Alagoas / Texto: Marcel Vital

Comentários

MAIS NO TH