Saúde

20 de fevereiro de 2020 09:20

63 mil alagoanos devem ser vacinados contra o sarampo

Campanha para imunizar crianças e adolescentes começou dia 10 e segue até 13 de março

↑ Vacinação é voltada para crianças e adolescentes de 5 a 19 anos (Foto: Reprodução)

Estimativas da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) apontam que em torno de 63 mil alagoanos devem tomar a vacina contra o Sarampo. A Campanha Nacional de Vacinação contra a doença iniciou no último dia 10, nos 102 municípios do Estado. A ação, que vai até o dia 13 de março, tem como objetivo imunizar crianças e adolescentes de 5 a 19 anos.

A Sesau esclarece que a atual campanha é seletiva e seu objetivo principal é apenas atualizar o calendário vacinal de pessoas que estão na faixa etária citada acima e que estejam com a Caderneta de Vacinação desatualizada – ou seja, que faltam tomar uma das doses preconizadas. Desse modo, não há um número de pessoas determinado a ser vacinado.

Com relação ao percentual de vacinados, como não há um público específico e uma meta a ser cumprida, as doses aplicadas serão digitadas na rotina, portanto, a assessoria de comunicação da  Sesau  disse que só terá os dados após o 10° dia útil do mês subsequente ao término da campanha.

A Sesau diz ainda que, em conjunto com os municípios, espera interromper a transmissão do vírus da doença, bem como reduzir internações e evitar óbitos. Há 20 anos Alagoas não notificava casos de sarampo, mas, devido ao surto que ocorreu no Brasil em 2019, foram confirmados 28 casos da doença no estado.

Vacina é contraindicada apenas em dois casos

A assessora técnica pelo Programa Nacional de Imunização em Alagoas (PNI/AL), Denise Castro destaca que os pais devem se dirigir aos serviços para iniciar a vacinação ou completar as doses do esquema básico, levando a caderneta ou cartão de vacinação. “A vacina é a medida eficaz de proteção contra o sarampo, uma doença que pode deixar sequelas ou, nos casos mais graves, matar”, alerta.

A dona de casa Jaudinete Santos, mãe de duas crianças – uma de 6 e outra de 8 anos, sabe a importância de imunizar os filhos. “Sempre procuro atualizar as vacinas necessárias para imunizá-los. E a maioria está em dia. Sei a importância da imunização. Isso evita que eles adoeçam. A prevenção é essencial. Embora, o SUS [Sistema Único de Saúde] não ajude, sempre busco ter consultas médicas para eles. A vacinação do Sarampo vou atualizar. Não os levei ainda por conta da gripe que eles tiveram. Mas sei a importância e a vacinação será feita’’.

A também dona de casa Yasmin Carollynne, que tem duas filhas – 5 e 3 anos, e está grávida do terceiro bebê, se preocupa com a saúde das crianças. “Todas as vacinas estão em dia, inclusive do sarampo. Preocupo-me tanto que quando não tem no posto onde procuro, vou à outra unidade de saúde para vaciná-las.”

A assessora técnica do PNI no estado esclarece que a vacina contra a doença é contraindicada em dois casos. “Se a pessoa já sofreu choque anafilático ao tomar doses anteriores e se possui imunodeficiência congênita, não é recomendada uma nova dose”.

A DOENÇA

Castro explica que, o sarampo é causado por um vírus altamente contagioso, cujo índice de contaminação chega a 90% em pessoas sem imunidade, que compartilham espaços com infectados. A doença é transmitido através do contato com a pessoa infectada, quando ela tosse e espirra’’.

Ainda de acordo com Denise Castro, os sintomas se manifestam entre 10 e 14 dias após a exposição ao vírus e incluem coriza, tosse, infecção nos olhos, erupção cutânea e febre alta. Três a cinco dias após o início dos sintomas. “Geralmente começa como manchas vermelhas planas que aparecem no rosto, na linha do cabelo e se espalham para o pescoço, tronco, braços, pernas e pés”, informou.

MACEIÓ

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) montou alguns postos volantes para a vacinação durante o período de campanha. Para se vacinar, o usuário poderá se dirigir nos Shoppings Iguatemi (Mangabeiras), Parque (Cruz das Almas) e Pátio (Cidade Universitária). A imunização ocorre de segunda a sexta-feira, das 15h às 21h; no sábado, das 10h às 22h; e no domingo, das 14h às 20h, assim como, às unidades de saúde de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h também ofertam a dose da vacina.

A imunização, que ocorre por meio da vacina Tríplice Viral, será ministrada de forma seletiva ao público-alvo, ou seja, com base na situação vacinal de cada paciente. No local também será atualizada a Caderneta de Vacinação, com a oferta das outras vacinas necessária para os usuários.

De acordo com a SMS, a imunização também será intensificada nas escolas públicas, como estratégia de vacinação das crianças, adolescentes e profissionais. “A campanha visa uma atualização vacinal, isto é, não estão sendo ofertados doses extras, mas sim a vacina para pessoas que não tomaram as doses necessárias, por isso não é possível afirmar quantas pessoas devem ser imunizadas na capital’’.

Nas unidades de saúde e postos volantes, os usuários que não estão com o calendário vacinal completo, de acordo com sua idade, estão sendo imunizados com outras vacinas. A campanha também não tem uma meta, mas o Ministério da Saúde (SM) preconiza que estejam imunizados acima dos 90% do público-alvo.

 

Fonte: Tribuna Independente / Lucas França

Comentários

MAIS NO TH