Saúde

20 de setembro de 2019 15:57

Alagoas participa de Consórcio do Nordeste para reduzir custos com medicamentos

Objetivo é unificar e comprar os remédios em larga escala por preços mais acessíveis

↑ Medicamentos adquiridos pelo Consórcio do Nordeste irão abastecer o Ceaf (Foto: Carla Cleto / Ascom Sesau)

Alagoas integra o primeiro edital de compras compartilhadas de medicamentos do Consórcio Interestadual de Desenvolvimento Sustentável do Nordeste. O propósito é abastecer as farmácias de alto custo, mantidas pelas Secretarias estaduais de saúde dos nove estados que compõem a região.

Com o consórcio, a expectativa é de que o Componente Especializado em Assistência Farmacêutica (Ceaf), localizado no bairro Farol, em Maceió, compre em larga escala os medicamentos chamados de padronizados – distribuídos gratuitamente nas farmácias e listados pelo Ministério da Saúde – por preços mais acessíveis.

O secretário de Estado da Saúde, Alexandre Ayres, explica que o maior benefício do consórcio é o “ganho de escala”. Isso porque terá como resultado a economia de recursos para o Estado.

“Vamos trabalhar diretamente com os fabricantes. A compra vai ser tratada com a indústria, de forma a baratear o custo. É uma maneira de os Estados comprarem os medicamentos de forma mais eficaz. A ampliação no volume das encomendas vai dar ao consórcio maior poder para negociar descontos”, destacou o secretário.

Segundo Yuri Amaral, gerente de Suprimentos da Sesau, a presidência do consórcio está com a Bahia e, a cada ano, outro estado assume a direção. Neste momento, a compra das medicações vai ocorrer por meio da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (SESAB). Desse modo, os Estados são participantes de uma ata de registro de preço que vai englobar todos que compõe a Região Nordeste.

“A Sesau já informou o quantitativo que queremos e, depois que finalizar a licitação, cada Estado vai ficar utilizando um saldo disponível para fazer a compra. A entrega será feita diretamente nos nove Estados consorciados”, disse.

Entre os medicamentos estão os imunossupressão no transplante, lúpus, artrite, hepatite autoimune, esclerose, doença de Crohn, retocolite ulcerativa (RCU), miastenia gravis, hipoparatireoidismo e distúrbios do metabolismo mineral e ósseo (DMO), que ocorrem na doença renal crônica (DRC).

Também estão listados os remédios para asma, leiomioma do útero, puberdade precoce central, endometriose, acne grave, osteoporose, anemia presente nos pacientes portadores de doença renal crônica, síndrome de Turner e hipopituitarismo, mais conhecido como deficiência do hormônio do crescimento.

Sobre o Consórcio Nordeste – A criação do Consórcio Nordeste prevê a parceria conjunta dos nove estados do Nordeste em dez pontos. O acordo permitirá, por exemplo, o intercâmbio de estudantes, apoio na segurança pública dos estados, parceria em obras de infraestrutura e a realização de compras conjuntas, buscando a diminuir o preço de produtos e serviços.

Fonte: Ascom Sesau/AL / Texto: Marcel Vital

Comentários

MAIS NO TH