Saúde

6 de setembro de 2019 15:06

Sesau abre cinco licitações para compra de órteses e próteses

Procedimento acontece neste mês e tem com o intuito reduzir preços e custos, balizar o mercado e gerar economia para o Estado

↑ A perspectiva da Sesau é a de que haja redução de preços e custos da administração pública A perspectiva da Sesau é a de que haja redução de preços e custos da administração pública (Foto: Carla Cleto / Agência Alagoas)

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) confirmou, nesta sexta-feira (6), que haverá, neste mês, cinco certames licitatórios para aquisição de órteses e próteses para cirurgias ortopédicas, cardíacas, vasculares e neurocirurgias em Alagoas.

Com isso, a perspectiva da Sesau é a de que haja redução de preços e custos da administração pública, direcionando, assim, o montante economizado para a assistência junto ao cidadão que necessita dos serviços de saúde pública.

“A ideia de dar mais transparência e reduzir os custos fez com que a Sesau tomasse a iniciativa, pela primeira vez, de lançar cinco licitações de OPME’s [órteses, próteses e materiais especiais]. O nosso intuito é gerar economia ao erário público. Com certeza, será mais um marco histórico que a saúde pública alagoana irá conquistar”, garante o secretário de Saúde, Alexandre Ayres.

A licitação vai agilizar a compra de material para assistência de média e alta complexidade para procedimentos como cirurgias ortopédicas, cardiológicas, de vias aéreas e vasculares.

Entendimento Anvisa

Em agosto deste ano, a Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou por unanimidade uma proposta de monitoramento e divulgação de preços de itens usados em implantes. O objetivo foi criar um painel eletrônico que permita a pesquisa de produtos e a comparação de preços dos itens disponíveis no mercado.

Como resultado, espera-se dar mais transparência aos dados, facilitar a compreensão sobre a grande variedade de tipos disponíveis e ajudar na compra desses artigos. Outro foco é melhorar a relação custo-benefício para o governo e pacientes, bem como reduzir a disparidade de informações, especialmente em relação aos valores de comercialização praticados no mercado.

Fonte: Agência Alagoas / Texto: Nigel Santana

Comentários

MAIS NO TH