Saúde

21 de agosto de 2019 18:04

Pesquisa irá traçar perfil de saúde de ex-moradores do Pinheiro

Estudo descritivo tem como objetivo atender aos ex-moradores das áreas de risco do bairro

↑ Em julho, servidores dos três entes iniciaram a pesquisa por amostragem (Foto: Neno Canuto / Ascom SMS)

Após pesquisas de campo para traçar o perfil sociodemográfico de moradores do Bebedouro, Mutange e Pinheiro, os profissionais da Saúde do Município de Maceió, Estado de Alagoas e Governo Federal seguem realizando o inquérito para conhecer a situação de saúde dos usuários que deixaram suas residências, no Pinheiro.

O estudo descritivo tem como objetivo atender aos ex-moradores das áreas de risco do bairro Pinheiro, definidas pela Defesa Civil e classificadas no mapa de feições de acordo com o risco.

O objetivo é conhecer as condições de saúde desses usuários e saber o impacto das mudanças nos últimos meses. “A previsão é que o estudo seja concluído nesta sexta-feira (23) e a intenção é obter essas informações da área de saúde por amostragem, já que a gente não consegue identificar para onde foram todos os moradores”, explica a diretora de Vigilância em Saúde da SMS, Fernanda Rodrigues.

Os dados estão sendo coletados por meio de entrevista presencial – nas residências e centros comunitários- ou por telefone, utilizando um questionário semiestruturado, que contempla variáveis sociodemográficas e epidemiológicas. A amostragem das pessoas entrevistadas foi feita pela lista de pessoas cadastradas pela Defesa Civil, para recebimento de ajuda humanitária concedida pelo Governo Federal aos moradores do bairro Pinheiro e ruas limítrofes ao bairro.

A previsão é que na próxima semana sejam apresentados os dados preliminares, mas o estudo completo só deve ser conhecido no próximo mês. “O pessoal do Ministério da Saúde retornará a Brasília e irá trabalhar em cima desses dados para fazer a compilação e, em seguida, apresentar como relatório. Eles pediram em torno de 20 a 30 dias para concluir essa compilação dos dados e as correlações entre as condições de saúde de moradores e ex-moradores”, relata a diretora.

Fernanda conta ainda que as ações em decorrência desse inquérito dependerão dos resultados apresentados. “A partir disso, serão feitas recomendações e sugestões de ações, que precisarão ser tomadas a nível local e com auxílio do MS”, finaliza.

Fonte: Ascom SMS / Texto: Graziela França

Comentários

MAIS NO TH