Saúde

11 de julho de 2019 10:33

Período chuvoso aumenta riscos de contrair leptospirose

Contato com água contaminada com a urina do rato pode levar à contaminação

↑ Para não contrair a doença é necessário evitar andar descaço em locais com água contaminada pela bactéria Leptospira (Foto: Carla Cleto/Ascom Sesau)

Diante do período de chuvas em Alagoas, a Secretaria de Estado de Saúde (Sesau) alerta a população sobre os riscos de contrair a leptospirose, que pode trazer consequências graves para o indivíduo, inclusive levando à morte.

Segundo o assessor técnico do Núcleo de Vetores, Zoonoses e Fatores Ambientais da Sesau, Carlos Eduardo da Silva, a leptospirose se caracteriza como uma infecção transmitida principalmente pela urina de roedores, especialmente durante o contato com água contaminada.

“A doença é causada pela bactéria leptospira, presente na urina de ratos. Por isso, é importante evitar o contato com água ou lama de enchentes e impedir que crianças nadem ou brinquem nessas águas”, explicou Carlos Eduardo da Silva.

Entre os sintomas da leptospirose destacam-se a febre, dor de cabeça e dores pelo corpo. “O tratamento e diagnóstico da leptospirose podem ser feitos nas Unidades Básicas de Saúde da Atenção Básica”, explicou o assessor técnico do Núcleo de Vetores, Zoonoses e Fatores Ambientais da Sesau.

Carlos Eduardo da Silva lembra que é necessário evitar o contato com água empossada nas ruas e resultante de enchentes. “O recomendado é não trafegar por estes lugares, mas, caso seja necessário, é importante andar com botas ou colocar bolsas de plástico nos calçados para evitar o contato da pele com a água das chuvas, que pode estar contaminada”, recomendou.

Dados da doença – De acordo com informações do Núcleo de Vetores, Zoonoses e Fatores Ambientais da Sesau, foram confirmados 23 casos de leptospirose em Alagoas no primeiro semestre de 2019. No ano de 2018 foram computados 48 casos e em 2017, 72 pacientes foram diagnosticados com a doença.

Fonte: Ascom Sesau

Comentários

MAIS NO TH