Saúde

16 de março de 2019 08:25

Arapiraca terá plano de prevenção ao suicídio

Em 10 anos, HE do Agreste atendeu 5.075 casos de tentativa; projeto visa identificar pessoas com depressão

↑ Plano busca reforçar a rede de atenção primária para identificar e acompanhar indivíduos com depressão (Foto: Charles Petuba/Cortesia)

Direcionar o trabalho na prevenção de problemas psicossociais na atenção básica, com a sensibilização dos profissionais de saúde e mobilização da sociedade, a fim de identificar pessoas com depressão e comportamentos que podem levar à prática do suicídio. Com esse propósito, a saúde pública em Arapiraca lançará, nos próximos dias, um plano municipal para reforçar a rede de atenção primária e identificar e acompanhar mais de perto os indivíduos que apresentem esse tipo de perfil.

Para tanto, a coordenadora municipal de Saúde Mental de Arapiraca, enfermeira Edna Veríssimo, vai apresentar o Plano Municipal de Prevenção ao Suicídio, no próximo dia oito de abril.

A apresentação ocorrerá durante reunião do Grupo de Ações Contra o Suicídio, que é formado por médicos, psicólogos, assistentes sociais e enfermeiros do Hospital de Emergência Daniel Houly, além de especialistas da Universidade Estadual de Alagoas (Uneal), Ufal, Centro de Valorização da Vida (CVV), Secretaria Municipal de Saúde, Unidades Básicas de Saúde (UBS), Centro de Atenção Psicossocial e Instituto Médico Legal (IML) de Arapiraca.

ESTATÍSTICAS

Os dados mais recentes mostram que a segunda maior cidade de Alagoas lidera todas as estatísticas de tentativas ou mortes por suicídio.

Enquanto a média nacional é de cinco tentativas de suicídio por 100 mil habitantes, o levantamento mais recente mostra que Arapiraca tem índice de 10 tentativas por grupo de 100 mil habitantes.

A assistente social Ana Lúcia Lima revela que o mais recente relatório publicado pelo Hospital de Emergência Daniel Houly contabilizou, no período de 2008 a 2018, o número alarmante de 5.075 atendimentos a pacientes que tentaram tirar a própria vida.

Desse total, 3.606 pacientes eram mulheres. A principal causa das tentativas de suicídio é por envenenamento. O levantamento também mostra que o maior quantitativo de ocorrências é de jovens com idade entre 20 e 29 anos.

A cidade de Arapiraca registrou, no período, 2.513 casos, enquanto Girau do Ponciano vem em seguida com 263 ocorrências de tentativas de suicídio. Lagoa da Canoa vem em terceiro lugar com 228 casos. A fonte das informações é do Sistema Nacional de Agravos de Notificação (Sinam) do Ministério da Saúde.

Por conta dessa realidade, desde setembro de 2016 que o maior hospital público do interior de Alagoas, o HE do Agreste, vem desenvolvendo ações conjuntas com as instituições parceiras e a Secretaria Municipal de Saúde, com reuniões periódicas, palestras e campanhas educativas para prevenção do suicídio.

A psicóloga Mônica Leal destaca a importância do lançamento do Plano Municipal de Prevenção ao Suicídio como um importante instrumento para o problema.

“É uma realidade muito triste e preocupante que atinge pessoas em idade produtiva e de todas as classes sociais. O assunto requer uma urgente mobilização de todos os profissionais de saúde, gestores públicos, da classe política e de toda a sociedade, para que possamos desenvolver mais ações preventivas e de promoção da saúde física e mental dos jovens e adultos em nossa região”, acrescentou.

Fonte: Tribuna Independente / Davi Salsa

Comentários

MAIS NO TH