Saúde

17 de fevereiro de 2019 10:37

Hospital Helvio Auto reduz a zero infecções do trato urinário na UTI

Além de beneficiar o paciente, protocolo utilizado ainda reduz gastos com material hospitalar e medicamentos

↑ Equipe da UTI do Hospital Helvio Auto comemora sucesso da implementação de novas práticas que culminaram em mais de 90 dias sem infecções do trato urinário (Foto: Ana Paula Tenório / Agência Alagoas)

O Hospital Escola Dr. Helvio Auto (HEHA), unidade assistencial da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas (Uncisal), alcançou a meta estipulada pelo Projeto Melhorando a Segurança do Paciente em Larga Escala no Brasil, na redução de uso de cateteres vesicais na Unidade de Terapia Intensiva, o que acarretou na não ocorrência de infecções do trato urinário nos últimos três meses.

Antes do início do projeto, o Hospital Helvio Auto apresentava um indicador de 16,8% de infecções do trato urinário em pacientes internos na UTI. “Como a sonda é um corpo estranho, o risco de infecção aumenta consideravelmente. Nós diminuímos de 80% para 40% a taxa de utilização do cateter e estamos há três meses sem infecção, atingindo a meta estipulada pelo projeto do Ministério da Saúde”, informou Ângelo Roncalli, assessor da Gerência Geral e gerente do projeto.

Um outro padrão de avaliação do uso do cateter vesical foi adequado ao Hospital Helvio Auto, segundo protocolo institucionalizado pelo projeto, que é orientado por consultores do Hospital Israelita Albert Einstein. Seguindo o novo protocolo, também se observou a queda das infecções, o que melhora a condição de saúde do interno, reduzindo os riscos de infecções primárias, como também os de sepse.

Redução de custos

Com o novo protocolo de avaliação do paciente, o impacto financeiro também foi constatado com a diminuição de 50% de cateteres implantados. Com menos infecções, se utiliza menos antibióticos no tratamento. Uma redução da utilização de antibióticos também já vem sendo observada pelos profissionais da UTI do Hospital Helvio Auto, o que reflete na redução de custos também com a terapia medicamentosa.

Seguindo o proposto pelos parâmetros estipulados, a tendência é de redução no uso de outros dispositivos e de infecções relacionadas ao cateter venoso central, como também as associadas à ventilação mecânica. “Queremos salientar que isso só foi possível pela total colaboração e empenho de todos os profissionais da UTI do Hospital Helvio Auto, que aderiram às adequações dos protocolos adotados como base, de acordo com a orientação do Hospital Albert Einstein”, salientou o gestor Ângelo Roncalli.

O Hospital Escola Dr. Helvio Auto foi selecionado, dentre outras instituições de saúde de todo o Brasil, para participar do projeto do Ministério da Saúde que trabalha a segurança do paciente em Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Por meio de suporte técnico e práticas aplicadas, o projeto, que é acompanhado pelo Hospital Israelita Albert Einstein, pretende reduzir em até 50% algumas infecções comuns no ambiente de terapia intensiva em até três anos.

Fonte: Agência Alagoas / Texto: Ana Paula Tenório

Comentários

MAIS NO TH