Saúde

9 de novembro de 2018 09:17

Diagnóstico precoce resulta em 90% de cura dos casos de câncer de próstata

No mês dedicado ao combate da doença, urologista reforça que grupos de risco devem começar mais cedo a prevenção

↑ Segundo Humberto Montoro, a prevenção deve começar a partir dos 50 anos caso não haja fator de risco e, do contrário, aos 45 anos (Foto: Ascom/Ufal)

O mês de novembro é dedicado à prevenção e combate ao câncer de próstata, o chamado Novembro Azul. Segundo o urologista Humberto Montoro, o diagnóstico precoce contribui para a cura em 90% dos casos.

“Em relação ao câncer de próstata o que deve chamar a atenção é principalmente a prevenção. Porque o câncer na fase inicial, quando conseguimos curar 90% dos casos, não dá nenhuma sintomatologia. Então se o homem esperar sentir alguma coisa, com certeza vai chegar tarde e você não vai conseguir curar. A mensagem da prevenção é fazer o diagnóstico precoce”, diz.

Segundo o urologista, a prevenção ocorre com a realização periódica de exames tanto o de sangue como o toque retal, que se complementam.

“O diagnóstico é feito basicamente com dois exames, os de sangue, com a dosagem do PSA, que muitos acham que só fazendo o PSA estão fazendo prevenção, existe 20% de câncer com o PSA normal. Tem câncer que só aparece com o toque, o diagnóstico tem que ser aliado. Porque se chegar tarde ao diagnóstico, você não consegue a cura, mas medidas paliativas de sobrevida.”

De acordo com o médico, a campanha ajuda também na conscientização do homem em relação aos cuidados com a saúde. “Na verdade o Novembro azul foca no câncer de próstata, mas ajuda também nos cuidados com a saúde do homem. O homem não tem que se preocupar apenas com o câncer de próstata, mas também com o colesterol alto, com os triglicerídeos, diabetes, pressão alta”, destaca.

No entanto, Montoro afirma que por questões culturais a prevalência de cuidados com a saúde do homem acaba ficando a cargo das parceiras ou sendo deixada para segundo plano por conta de mitos e tabus.

“As campanhas como o Novembro Azul tem ajudado bastante. Mas a gente percebe que muitas vezes as mulheres ainda se preocupam mais. As mulheres acabam participando mais, às vezes marcam a consulta, incentivam a ir, elas têm mais esse cuidado, obrigam o homem  a ir para o consultório. E uma coisa que tem que ser desmistificado é o toque retal, é algo que dura poucos segundos. Existe muita piada com isso, achando que é um desconforto absurdo, mas é necessário”.

A orientação segundo o urologista é começar a prevenção a partir dos 50 anos e, caso o paciente tenha histórico familiar da doença, aos 45 anos.

“Em relação à idade, a sociedade brasileira recomenda que se não houver nenhum fator de risco, nenhum histórico familiar pode começar a partir dos 50 anos de idade. Agora se ele for fator de risco, alguém na família com doença, obesidade associada, deve começar mais cedo. Então a prevenção deve começar mais cedo, por volta dos 45 anos. Também é preciso chamar a atenção que a maioria das doenças na próstata não são câncer, por isso o homem deve consultar o médico, fazer a prevenção”, pontua.

 

Fonte: Tribuna Independente / Evellyn Pimentel

Comentários

MAIS NO TH