Saúde

7 de março de 2018 17:30

Novos leitos de retaguarda aumentam capacidade de atendimento do HGE

Renan Filho lança programa que disponibiliza mais 127 leitos para a rede pública de Saúde, ampliando o número de vagas de apoio para 301

↑ Com o lançamento do Programa Ponte, novos leitos foram garantidos pelo Governo do Estado (Foto: Thiago Sampaio / Agência Alagoas)

A contratação de mais 127 leitos de retaguarda em hospitais da capital e interior de Alagoas, totalizando 301 vagas de apoio para a Rede Pública de Saúde, vai aumentar a capacidade resolutiva do Hospital Geral do Estado (HGE), em Maceió. Os novos leitos foram garantidos nesta quarta-feira (7), pelo governador Renan Filho, com o lançamento do Programa Ponte, executado pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), e a assinatura dos termos de compromisso pelas unidades privadas e filantrópicas credenciadas.

Durante o lançamento do programa, o governador Renan Filho explicou que a iniciativa pretende desafogar a movimentação de pacientes no HGE, concentrando os esforços da unidade nas ações para as quais é destinada.

“Isso significa um menor tempo de permanência do paciente em um leito do HGE. Com esses novos leitos vamos aumentar a capacidade resolutiva do HGE, ou seja, o cidadão será estabilizado no hospital, tem sua vida preservada e, por meio do transporte sanitário de pacientes, ele é transferido para um outro hospital, onde ele vai se recuperar, liberando o leito no HGE para um paciente em situação de urgência. Quanto mais girar um leito do HGE, mais pessoas o hospital consegue atender. Ele é o equipamento que mais atende o alagoano no Estado. Mensalmente, são mais de 15 mil pessoas”, explicou.

Nos leitos de retaguarda, os pacientes atendidos pelo Sistema Único de Saúde (SUS) receberão assistência em especialidades como cardiologia, neurologia, oncologia clínica, clínica médica e ortopedia. Para isso, o investimento mensal feito pelo Governo de Alagoas cerca de R$ 2,3 milhões por mês.

Lançamento do Programa Ponte (Foto: Thiago Sampaio)

(Foto: Thiago Sampaio / Agência Alagoas)

“As pessoas não têm hospital com alta resolutividade no interior, principalmente na Zona da Mata e no Norte. O nosso programa de investimento na Saúde Pública visa manter as parcerias com os hospitais privados e filantrópicos, manter os leitos de retaguarda e aumentar a oferta de leitos públicos, porque somente assim a gente vai dar um passo razoável no sentido de oferecer o número de leitos per capita que Alagoas precisa, que hoje é menor do que a média do Nordeste e do que a média do Brasil”, afirmou Renan Filho.

De acordo com a diretora do HGE, Marta Celeste Mesquita, os novos leitos de retaguarda já estão sendo utilizados a partir da semana que vem. “Esses leitos com certeza vão amenizar muito a situação do HGE. A implantação deles é imediata. Os leitos estarão disponíveis a partir de alguns ajustes operacionais como a publicação dos termos de compromisso. Acredito que, a partir de segunda-feira, os leitos estarão sendo utilizados pela regulação do HGE. A gente vai fazer um trabalho da instituição, junto com as outras unidades hospitalares da capital e do interior, UPAs e mini-pronto-socorros, onde, antes das pessoas encaminharem os pacientes para o HGE, elas vão poder telefonar e pedir a vaga e a gente vai encaminhar direto para a unidade que disponibilizou o leito, para evitar a peregrinação de todo mundo ter que ir para o HGE para ter acesso à saúde”, explicou a diretora.

Por meio do Programa Ponte, serão criados 12 leitos na Santa Casa de Maceió, 55 no Hospital do Açúcar, oito no Sanatório, 20 no Ortopédico, 17 no Médico Cirúrgico e 15 no Carvalho Beltrão. Atualmente, já existem 40 leitos contratualizados no Açúcar, 42 no Sanatório, 35 no Nossa Senhora de Fátima, 35 no Médico Cirúrgico, 10 no Dayse Breda e 12 no Hospital Vida.

Para o secretário de Estado da Saúde, Christian Teixeira, a abertura de novos leitos em Alagoas tem sido uma prioridade para o Executivo estadual por representar uma demanda da sociedade. Durante a solenidade desta quarta-feira, o secretário apresentou ainda um balanço das ações do Estado na área de saúde, com investimentos na construção de novas unidades, aquisição de ambulâncias, entre outros.

Lançamento do Programa Ponte (Foto: Thiago Sampaio)

(Foto: Thiago Sampaio / Agência Alagoas)

“O Governo do Estado tem investido na construção de novos hospitais, mas é muito importante agora, com o Programa Ponte, aumentarmos o número de leitos. O cidadão alagoano exige um serviço de saúde de melhor qualidade e o Governo do Estado tem dado toda prioridade a isso. Agradeço aos representantes das instituições credenciadas pela parceria, por acreditar no Governo do Estado e fazer com que o cidadão seja melhor atendido”, disse Teixeira.

Investimentos

De acordo com Renan Filho, a abertura de novos leitos de retaguarda dará suporte ao Hospital Geral do Estado enquanto as obras dos novos hospitais que estão sendo construídos no Estado estão em andamento. O governador enumerou ainda as obras em execução e os esforços do Estado na ampliação do acesso à saúde na capital e no interior do Estado.

“Na nossa capital, Maceió, nós só temos 27% de cobertura do Programa de Saúde da Família, o PSF, somos a única capital do Nordeste que não tem maternidade pública municipal, nem hospital público municipal de urgência e emergência. Isso deságua no serviço que temos, que é o HGE. Então é fundamental que sejam construídas novas UPAs na capital. Estamos considerando esse projeto que amplia o número de leitos de retaguarda como uma ponte que vai possibilitar ao HGE atender mais gente enquanto a gente não entrega os novos equipamentos, porque Alagoas está fazendo, neste momento, os maiores investimentos em saúde pública da nossa história”, lembrou o governador.

“Há 50 anos não se construía um hospital público em Maceió. Atualmente, estamos fazendo dois novos hospitais na capital: o Hospital da Mulher, que nós vamos entregar na metade deste ano; e o Hospital Metropolitano, que estará 100% concluído nos primeiros meses do ano que vem. Ainda na capital, acabamos de licitar duas novas Unidades de Pronto Atendimento [UPAs], uma no Jacintinho e outra no Tabuleiro do Martins, que vão possibilitar o atendimento de muito mais gente e sobretudo tirar casos clínicos menos graves do HGE. Além disso, estamos com três hospitais no interior do Estado, sendo um já em obras, o Hospital Regional do Norte, na cidade de Porto Calvo. Os outros dois, vamos iniciar nos próximos dias, um em União dos Palmares, que vai beneficiar toda a região da Marta; e o outro em Delmiro Gouveia, que vai atender a todo o Alto Sertão. São obras fundamentais”, assegurou Renan Filho.

Fonte: Agência Alagoas / Texto: Petrônio Viana

Comentários

MAIS NO TH