Política

22 de outubro de 2021 08:04

Aprovada PEC que permitirá a Bolsonaro furar teto de gastos

Subterfúgio passou na Comissão Especial e agora servirá para que presidente turbine o Auxílio Brasil, proposta com viés oportunista que pretende dar R$ 400 a 17 milhões de famílias até o fim de 2022, ano eleitoral

↑ Jair Bolsonaro (Foto: Reprodução)

A Comissão Especial da Câmara dos Deputados aprovou na noite desta quinta-feira (21) o texto-base da PEC dos Precatórios, que em sua nova versão abriu um “espaço fiscal” para que o governo de Jair Bolsonaro gaste até R$ 83 bilhões a mais no orçamento, o que possibilitará ao presidente pagar R$ 400 a 17 milhões de famílias até o final de 2022, ano de eleição.

Na prática, para não furar o sagrado teto de gastos cultuado pelos ultraliberais que apoiam o governo do presidente de extrema direita, o limite desse teto foi expandido, permitindo à combalida gestão de Bolsonaro distribuir o benefício justamente no momento em que sua popularidade derreteu e jogou seus índices de aprovação ao nível mais baixo desde sua posse.

Parlamentares da base do governo admitiram que o texto sofreu alterações até minutos antes de ser submetido a votação na Comissão Especial, para que nele pudessem ser incluídos os R$ 83 bilhões que permitirão a Bolsonaro colocar em marcha seu projeto oportunista de liberar renda apenas no período das eleições. O placar ficou em 23 a 11 pela aprovação.

A matéria seguirá agora para o plenário da Câmara dos Deputados, para que seja votado por todos os parlamentares da Casa. Ainda não há data exata para a votação.

 

Fonte: Revista Fórum / Henrique Rodrigues

Comentários

MAIS NO TH