Política

24 de julho de 2021 11:07

População intensifica “fora Bolsonaro!”

Novo manifesto em apoio à abertura de impeachment contra o presidente da República acontece em Maceió e mais quatro cidades

↑ Bolsonaro tem sido criticado por conta da má gestão no combate à Covid-19 (Foto: Edilson Omena)

Pela quarta vez este ano, brasileiros se unem para ir às ruas exigir o impeachment do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) no sábado (24). Em Maceió, entidades sindicais, partidos políticos e movimentos sociais se reúnem na Praça Multieventos, a partir das 9h. Em pauta estão os números de pobreza, fome e violência que só aumentam em todo o país, além das mais de 544 mil vítimas do novo coronavírus, somando em média 1.197 mortos por dia.
Além de esperar o impeachment de Bolsonaro, os manifestantes exigem o avanço da vacinação contra a Covid-19 e da aprovação do auxílio-emergencial de R$ 600.

Para o cientista político e sociólogo, Jorge Vieira, as manifestações contra o governo de Jair Bolsonaro são extremamente importantes. “Para a gente entender o porquê de mais uma manifestação, temos que entender o contexto geral com relação à militância de Bolsonaro, que nunca defendeu o isolamento social e sempre defenderam o presidente. Agora, finalmente a sociedade se deu conta de que é preciso ir para ruas contra esse governo fascista e genocida”, opina.

Jorge Vieira afirma que não tem dúvidas de que somente com a sociedade organizada e os movimentos sociais articulados é que a democracia será restaurada. “Todos os segmentos que acreditam na democracia, na participação da sociedade dentro das decisões do governo, precisam tomar as ruas e se manifestar contra o descaso como o presidente trata a maioria da população”, continuou.

O cientista político destaca a importância da CPI da Covid para demonstrar aos reais interesses do atual governo. “A CPI está mostrando o que todos nós, que analisamos a sociedade, já sabíamos. O governo de Jair Bolsonaro e sua militância têm características extremamente fascistas e destruidora das instituições. É impressionante como consegue destruir tudo aquilo o que foi construído no processo de redemocratização. É uma desmoralização”, disse Jorge Vieira.

FORTALECIMENTO

A manifestação faz parte de uma campanha nacional e acontecerá em diversas cidades do território brasileiro. As centrais sindicais que formam as frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo acreditam que os atos deste sábado serão os maiores que os anteriores. Em Maceió, os movimentos sindicais, feministas, negros, urbanos e rurais, além de partidos políticos e ativistas pelo ‘Fora Bolsonaro’ confirmam presença.

Pesquisas apontam que Alagoas ocupa o 4º estado do país com maior índice de desemprego. Somado a esse problema, o valor da alimentação tem crescido em proporções que não cabem mais no bolso das famílias alagoanas e brasileiras. “Estamos cansados de ver a injustiça acontecer debaixo dos nossos olhos. Foi lamentável assistir no jornal local uma entrevista de uma senhora em um supermercado chorando por não poder fazer uma feira completa para alimentar sua família. Precisamos de um/a líder que assista o povo”, indagam os representantes da comissão Fora Bolsonaro de Alagoas.

Caos político e humanitário ocorre no governo

 

Outro clamor dos participantes do ato é a análise, pelo atual presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP), dos mais de 120 pedidos de impeachment apresentados contra o presidente Jair Bolsonaro e que se encontram, atualmente, engavetados pelo parlamentar.

“É inaceitável que Bolsonaro, apesar de toda a conjuntura e do caos político, econômico, humanitário e social que o país se encontra, não seja responsabilizado constitucionalmente por suas ações e omissões, conforme narrado no ‘superpedido’ de impeachment entregue em 30 de junho a Arthur Lira e elaborado por diversos partidos políticos e movimentos sociais”, exclamam os organizadores.

Em declarações recentes, o deputado alagoano tem demonstrado que não vai dar andamento aos pedidos de impeachmente contra o presidente Jair Bolsonaro. Lira tem sido um dos aliados mais fortes de Bolsonado no Congresso Nacional antes mesmo de ser eleito presidente da Câmara Federal.

PROTEÇÃO

Para a comissão Fora Bolsonaro de Alagoas, toda população insatisfeita com o atual presidente e o governo federal está convidada. “É importante que todos os presentes usem máscaras, de preferência as do tipo PFF2/N95, e que usem álcool em gel. Além disso, também solicitamos o distanciamento social nas manifestações”, explicam.

MAIS ATOS

Alagoas também contará com manifestações em Delmiro Gouveia, município localizado no alto Sertão, Praça do Coreto, 9h; Arapiraca, segunda maior cidade do Estado, Praça da Paróquia Sagrado Coração de Jesus, 9h; Palmeira dos Índios, Agreste alagoano, Praça da Igreja São Cristóvão, 9h; e União dos Palmares, na Zona da Mata, Semáforo Globo, às 9h.

Fonte: Tribuna Independente / Texto: Thayanne magalhães

Comentários

MAIS NO TH