Política

28 de abril de 2021 08:45

Em meio à crise gerada pela Anvisa de Bolsonaro, Lula se reúne com embaixador russo

Enquanto o governo Jair Bolsonaro sabota vacinas, o ex-presidente Lula terá uma reunião com o embaixador russo na próxima semana em Brasília, onde também deve encontrar lideranças políticas

↑ Lula (Foto: Stuckert)

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva irá a Brasília na próxima semana e terá um encontro com o embaixador russo, Alexey Labetskiy,  na sede da Embaixada da Rússia. O encontro acontecerá no contexto da repercussão da decisão da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa)  de não recomendar a importação da vacina Sputnik V. A informação sobre a agenda do petista foi publicada pela coluna de Bela Magale.

Lula já teve no ano passado um encontro com Kirill Dmitriev, diretor Fundo Russo de Investimento Direto. O diálogo abriu negociação entre a entidade e o Consórcio do Nordeste, formado por nove estados da região, para a compra o imunizante desenvolvido pela Rússia.

Enquanto o ex-presidente faz sucessivos alertas para a necessidade de o governo Jair Bolsonaro não sabotar vacinas, o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, afirmou que o Brasil foi pressionado pelos Estados Unidos a não recomendar a importação da vacina russa.

A mau gerenciamento da pandemia também repercutiu no exterior. Em entrevista à TV 247, o ex-primeiro-ministro de Portugal José Sócrates afirmou que “Bolsonaro deve ser o único presidente no mundo que não apenas negou a doença, mas desvalorizou a vacina”. Também fez elogiou ao ex-presidente. “Lula devolveu à esquerda sul-americana o prestígio e a imagem internacional de que a esquerda sabe governar”, afirmou Sócrates em sua análise.

Depois de tomar vacina contra a Covid-19 e ter a sua inocência reconhecida pelo Supremo Tribunal Federal, o ex-presidente Lula fará viagens pelo Brasil com o intuito de estreitar articulações com aliados e outros possíveis aliados para a eleição presidencial de 2022.

Pesquisa do Instituto Ideia encomendada pela revista Exame indicou, na semana passada, que somente Lula venceria Bolsonaro num eventual segundo turno na eleição presidencial – 40% x 38%.

Fonte: Brasil 247

Comentários

MAIS NO TH