Política

4 de março de 2021 07:42

Bancada de Alagoas na Câmara já direciona emendas para saúde

Proposta de Arthur Lira ganha adeptos e recursos devem ser para combate à Covid-19

↑ Paulão ressalta que já vinha destinando emendas para investimentos na área da saúde pública (Foto: Sandro Lima/arquivo)

Com o avanço da Covid-19, o enfrentamento da doença necessita de recursos. Dessa forma, o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP) pediu a governadores, em reunião realizada segunda-feira (2), que os gestores estaduais atuem junto aos deputados federais para que as emendas parlamentares sejam aplicadas, exclusivamente este ano, no combate à pandemia de coronavírus.

Diante dessa situação, a reportagem da Tribuna Independente buscou os parlamentares federais para saber se estão dispostos a liberar suas emendas somente para enfrentar a pandemia.

A assessoria da coordenadora da bancada federal alagoana, deputada Tereza Nelma (PSDB), disse que os deputados tinham até semana passada para fazerem suas indicações de emendas e assim o fizeram.

À Tribuna, o deputado Paulão (PT), explicou que as emendas impositivas têm uma definição que independe do parlamentar. No entanto, ele afirmou que acha a ideia importante e está aberto para o diálogo.

“Metade dos recursos é impositiva para várias políticas públicas e metade é destinada à saúde. Eu já vinha fazendo essa destinação há muito tempo. Antes da própria pandemia eu aloquei recursos para a Uncisal. Eu já tinha alocado recursos para o Hospital Santa Rita em Palmeira dos Índios e para o Hospital Regional de Arapiraca. Que são hospitais estratégicos. Eu estou aberto para dialogar com o governador que é um parceiro e a gente verificar a estratégia”.

Já o deputado Pedro Vilela (PSDB), pontuou que em parceria com o senador Rodrigo Cunha, conseguiu viabilizar R$ 100 milhões de reais em emendas. Ele ressaltou que a destinação das emendas foi feita, com alocação de 35 milhões de reais para a saúde, e que a depender do cenário, é possível redirecionar esses recursos para o combate à Covid-19.

“Porém, é importante focar na qualidade do gasto público, já que, até este momento, não foi apresentada à bancada uma situação de restrição de recursos. Se a necessidade de dilatação da rede de atendimento intensivo sofrer com a necessidade de um volume maior de dinheiro, com certeza a Bancada irá atender essa demanda”.

Fonte: Tribuna Independente / Carlos Victor Costa

Comentários

MAIS NO TH