Política

15 de janeiro de 2021 08:49

JHC acusa Rui de rombo na Prefeitura

JHC direciona à gestão anterior a responsabilidade de ter deixado problemas financeiros; ex-prefeito garante ter deixado caixa

↑ Prefeito JHC (Foto: Assessoria)

O prefeito JHC (PSB) declarou, na manhã desta quinta-feira (14), durante solenidade de início de obras de uma creche no bairro Ouro Preto, haver um “rombo” nos cofres municipais, deixado pela gestão anterior, de Rui Palmeira (sem partido). Segundo ele, ainda não é possível detalhar o tamanho do problema financeiro do Município.

“A situação está dramática para o Município, porque entregaram com um grande rombo no caixa. No apagar das luzes, muitos contratos não foram pagos. Além do calote do Iprev [Instituto de Previdência dos Servidores Públicos de Maceió] e de outras despesas que não tínhamos previsão financeira”, acusa JHC.

Ainda de acordo com o prefeito, a situação geral dos cofres municipais só será conhecida na integralidade na próxima semana.

“Já estamos no limite, vamos fechar o tamanho desse rombo até o início da próxima semana. O secretário João Felipe me passa hoje [quarta] o relatório preliminar. Estamos nos debruçando sobre os números, mas a situação da Prefeitura de Maceió não é boa”, completa o prefeito de Maceió.

JHC ainda reiterou que, independente de ser algo da gestão anterior, o Município precisa honrar os compromissos firmados.

“Temos que ser um bom pagador, até para que a gente possa ter a credibilidade com os fornecedores, de forma que possamos chegar ao nível de saber que Maceió tem uma prefeitura que paga bem”, diz o prefeito de Maceió.

OUTRO LADO

O ex-prefeito Rui Palmeira rebate as acusações de JHC. Em nota enviada à reportagem por sua assessoria, ressalta ter deixado um bilhão de reais nos cofres públicos municipais.

“A gestão Rui Palmeira deixou em caixa mais de R$ 1 bilhão, entre recursos próprios, federais, de convênios e outros”, destaca. “Todo o processo de transição com os dados financeiros e administrativos do município foi documentado e entregue à gestão do prefeito JHC, assim como ao Ministério Público Estadual, de forma transparente e responsável, nortes que conduziram a administração do então prefeito Rui Palmeira em seus dois mandatos”, completa a nota.

Ainda segundo a nota do ex-prefeito, “diferente de grande parte das administrações municipais brasileiras, Maceió encerrou 2020 com os salários dos servidores efetivos, inativos, pensionistas e comissionados pagos, incluindo o décimo-terceiro salário de todos eles, férias e outros benefícios do funcionalismo dentro do exercício do ano passado. Em oito anos, o então prefeito Rui Palmeira nunca atrasou a folha dos servidores, pagando-a sempre em dia e no mês trabalhado”.

Fonte: Tribuna Independente / Carlos Amaral

Comentários

MAIS NO TH