Política

16 de outubro de 2020 20:45

Marcelo Beltrão é acusado de desviar R$ 3,5 milhões

Denúncia de Jonathan Oliveira aponta para irregularidades no Instituto de Previdência do município de Jequiá da Praia

↑ Marcelo Beltrão exerce, atualmente, o mandato de deputado estadual e apoia candidato em Jequiá da Praia (Foto: Ascom / ALE)

Uma denúncia feita pelo cidadão Jonathan Oliveira ao Tribunal de Contas da União (TCU), Ministério Público Federal (MPF) e Polícia Federal (PF), joga sobre a administração do hoje deputado estadual Marcelo Beltrão a acusação de desvios no valor de R$ 3,5 milhões da Previdência dos servidores públicos de Jequiá da Praia (Jequiá Prev), no Litoral Sul alagoano.

Na denúncia, Jonathan Oliveira sustenta que durante auditoria interna realizada no Jequiá Prev foram encontrados indícios de fraudes, de irregularidades e de desvios de recursos públicos, que teriam sido cometidos pelo antigo presidente da Previdência Social de Jequiá da Praia – Francisco Cláudio de Almeida – no período entre 2014 ou 2016. “São atos ilegais que obviamente foram cometidos durante a gestão de Marcelo Beltrão em Jequiá da Praia”, afirma.

No conteúdo da denúncia são apontados casos de dano ao erário e práticas ilícitas, que estariam comprovados por meio de extratos bancários do Banco Bradesco. Nesse banco o Jequiá Prev possui conta corrente, assim como o presidente da previdência do município à época das fraudes, Francisco Almeida.

“E aí reside o ponto central do esquema. Francisco Cláudio realizou várias transferências bancárias para seu filho Ícaro Caíque Azevedo Almeida e usou o dinheiro da Previdência dos servidores públicos para pagar despesas pessoais”, sustenta Oliveira.

“Com efeito, considerando todo o esquema fraudulento com a verba pública aqui denunciado, é importante destacar que a própria prestação de contas dos valores da Jequiá-Prev eram manipuladas. Os extratos bancários apresentados eram ‘frios’, montados especificamente para apresentar contas no município; verifica-se nos extratos bancários acostados que as informações são completamente dissonantes das utilizados para a prestação de contas”, diz Oliveira na denúncia.

A soma dos valores desviados do Jequiá Prev nos dois anos apurados pela auditoria, por meio das transferências apontadas como ilegais, é o valor que consta nas denúncias. “Os documentos enviados ao TCU, ao MPF e à PF comprovam, por meio provas robustas, que de fato os cofres públicos de Jequiá foram lesados em R$ 3,5 milhões durante dois anos na gestão de Marcelo Beltrão”, afirma ainda.

CAMPANHA

O ex-presidente do Jequiá Prev comanda atualmente a Previdência de Penedo, administrada por Marcius Beltrão, irmão de Marcelo Beltrão. Em Jequiá, Marcelo está em campanha para eleger Felipe Jatobá, filho da ex-prefeita Rosinha Jatobá, sua aliada que não pôde se candidatar por impedimento da Lei da Ficha Limpa.

A denúncia de Oliveira apresenta vários extratos bancários do Jequiá Prev emitidos pelo Bradesco. Segundo os extratos, o dinheiro da Previdência do município irrigou outras contas bancárias, como as de José Maurício de Melo, figura que, de acordo com Jonathan Oliveira, é completamente desconhecida na cidade e que nunca teve vínculo com o município. O Ministério da Previdência também realizou auditoria no Jequiá Prev e teria identificado ainda diversas outras irregularidades no órgão.

Fonte: Tribuna Independente

Comentários

MAIS NO TH