Política

26 de setembro de 2020 12:48

Disputa no MDB é para tudo ou nada em Arapiraca

Welton Roberto explica desdobramentos jurídicos que a peleja entre Luciano Barbosa e Renan Calheiros pode causar

↑ Disputa de Luciano Barbosa e Renan Calheiros em Arapiraca pode afastar MDB das eleições este ano (Fotos: Sandro Lima e Divulgação)

A briga entre o vice-governador Luciano Barbosa e o senador Renan Calheiros em torno da candidatura do primeiro à Prefeitura de Arapiraca pelo MDB pode ganhar contornos de fatalidade política. Se o ex-presidente do Congresso Nacional – e presidente estadual da legenda – sair vitorioso dos tribunais ao fim de todas as instâncias, todos os emedebistas arapiraquenses perderão os mandatos que possam vir a conquistar em novembro.

Se em última instância, o Judiciário entender por anular a convenção do MDB que indiciou Luciano Barbosa, Ruth Pereira como vice, e os candidatos a vereador, todas as candidaturas serão anuladas. Mesmo que todos sejam eleitos. Como explica à Tribuna o advogado Welton Roberto, “é tudo ou nada”.

“Se em até 120 dias após a posse essa decisão ocorrer, o segundo colocado assume. Se o diretório municipal de Arapiraca for dissolvido, ninguém é candidato porque não tem partido e não há tempo hábil para os candidatos a vereador – com ou sem mandato – disputarem a eleição por outro partido. O MDB não participará da eleição na cidade”, explica o advogado, que também é professor da Ufal.

A reportagem da Tribuna Independente também procurou outros advogados, mas nenhum quis comentar o caso.

No início da noite desta quinta-feira (24), o ministro Mauro Campbell Marques, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) indeferiu pedido de liminar do vice-governador para manter a convenção que o indicou como candidato em Arapiraca até o julgamento final do caso. Contudo, como alardeou, ainda nesta quinta, o advogado de Luciano Barbosa, Fábio Gomes, não houve julgamento do mérito. Portanto, mesmo sendo uma derrota pontual do vice-governador, a bola ainda está em jogo.

Para a tarde desta sexta-feira (25), o diretório estadual do MDB convocou uma reunião para tratar, entre outros temas, de possível dissolução do diretório municipal do partido em Arapiraca. Até o fechamento desta edição, sem desfecho.

O conflito interno no MDB deve criar dificuldades para o governador Renan Filho em 2022, uma vez que ele pretende – algo nunca dito publicamente – sair candidato ao Senado. Se Luciano Barbosa se eleger prefeito de Arapiraca, terá de renunciar ao cargo de vice-governador. O espaço, na prática, passa a ser ocupado pelo presidente da Assembleia Legislativa Estadual (ALE), deputado Marcelo Victor (Solidariedade), próximo ao deputado Arthur Lira (PP), e que assumiria o Governo do Estado, caso o governador vá à disputa pela vaga de Fernando Collor (Pros) em Brasília.

Em política, até boi pode voar, mas será que mesmo Luciano Barbosa desistindo de se candidatar, se manterá como aliado em 2022?

Para muita gente, o estrago na relação já é fato. Agora, é esperar para ver.

 

Fonte: Tribuna Independente  / Texto: Carlos Amaral – Editor de Política

Comentários

MAIS NO TH