Política

22 de setembro de 2020 09:01

Site de notícias que apoia JHC é registrado em nome de funcionário do deputado

Domínio do portal de notícias Alagoas Agora é de Robert Wagner dos Santos, funcionário do gabinete do deputado federal

↑ (Foto: Adailson Calheiros/arquivo)

Criado às vésperas da campanha eleitoral e com uma linha editorial claramente favorável ao deputado federal João Henrique Caldas (PSB), o portal de notícias Alagoas Agora tem o seu domínio registrado em nome de um funcionário do gabinete do parlamentar.

A empresa foi criada em junho deste ano com domínio registrado por Robert Wagner Ardison dos Santos, que está lotado no gabinete de JHC com o cargo de secretário parlamentar (SP02), como mostra o portal da Câmara Federal (https://www.camara.leg.br/deputados/178842/pessoal-gabinete?ano=2020).

A Razão Social do site está em nome de Jonathan F. B. Brito. A empresa tem um número de funcionários “indefinido”. Esses dados são públicos e podem ser acessados nos endereços da Receita na internet.

O portal Agora Alagoas está recheado de “informações positivas” sobre o candidato João Henrique Caldas. Já as notícias sobre seus concorrentes na disputa pela prefeitura de Maceió são bem mais escassas e, geralmente, de cunho negativo.

Uma breve busca nas notícias de Política mostra isso. Quando se coloca o nome de JHC na busca do site, saem 107 ocorrências, todas, sem exceção, de matérias positivas. Com o termo Alfredo Gaspar (MDB) são 63 notícias de cunho neutro ou negativo. Davi Davino (PP) aparece em 38 matérias e Cícero Almeida (DC) tem um total de zero ocorrência nas notícias do portal.

Apenas neste mês de setembro, entre o dia 1º e dia 18, o site publicou 23 notícias positivas sobre JHC, muitas delas com cara de propaganda disfarçada como uma postada no dia 14 de setembro com o título “JHC inicia sua caminhada rumo à vitória no bairro do Jacintinho”. Só sobre a convenção do candidato, o portal publicou quatro matérias favoráveis. No dia seguinte, 17 de setembro, foram mais duas reportagens positivas, uma delas com a manchete “Não negocio princípios e isso incomoda a muitos”.

Tanta projeção positiva em plena campanha eleitoral para um candidato específico de um veículo vinculado a um funcionário seu e pago com recursos públicos pode ser indício de crime eleitoral. Cabe investigação pelos órgãos competentes.

Fonte: Tribuna Independente

Comentários

MAIS NO TH