Política

15 de setembro de 2020 15:16

Oito ex-prefeitos da Região Norte não poderão concorrer nas eleições de novembro

Tribunal de Contas da União entregou ao Tribunal Superior Eleitoral a lista dos gestores que tiveram as contas rejeitadas pelo órgão

↑ Eleições (Foto: José Cruz / Agência Brasil)

Situação complicada para oito ex-prefeitos da Região Norte caso queiram se candidatar nas eleições de novembro. De um lado o Tribunal de Contas da União que entregou ao Tribunal Superior Eleitoral a lista dos gestores que tiveram as contas rejeitadas pelo órgão, que inclui nomes das pessoas que são consideradas inelegíveis. Nesse caso os “fichas sujas” são sete ex-prefeitos da região Norte e dois deles são pré-candidatos no pleito de 2020. Por outro lado o Tribunal de Justiça de Alagoas também condenou em segunda instância uma pré-candidata que não poderá disputar o pleito, também de acordo com a Lei da Ficha Limpa.

Na região Norte à lista inclui os seguintes ex-prefeitos, Carlos Lima, o “Kaika”, de Porto Calvo; Cícero Cavalcanti de Araújo, Matriz de Camaragibe; Eraldo Pedro da Silva, São Luís do Quitunde; Jean Fábio Cordeiro, São Luís do Quitunde; José Aderson da Rocha, Japaratinga; Marcos José Dias Viana, o “Marcos Madeira”, Maragogi e Maria Cícera Mendonça, a “Ciçou”, na Barra de Santo Antônio.

O ex-prefeito de Porto Calvo, Carlos Eurico, o “Kaika”, do PSD, por exemplo, foi oficializado como pré-candidato no último dia 13 de setembro em convenção na cidade. Pela condenação do TCU não poderia. Caberá ao Tribunal Superior Eleitoral homologar ou não sua candidatura. Mesma situação para o ex-prefeito de Maragogi, Marcos Madeira, do MDB, cuja convenção partidária ratificou seu nome e de sua vice, Isabela Laranjeiras.

De acordo com o TCU, consta na lista o nome de todos os gestores que tiveram suas contas julgadas irregulares, com trânsito em julgado nos últimos oito anos, ou seja, a partir de 15 de novembro de 2012. A inclusão de nomes é dinâmica e atualizada diariamente.

Já no município de Passo de Camaragibe a ex-prefeita e até então pré-candidata pelo MDB, Márcia Coutinho, foi condenada em segunda instância pelo Tribunal de Justiça de Alagoas no último dia 9 de setembro e não poderá disputar o pleito de acordo com a Lei da Ficha Limpa. Em maio do ano passado, a juíza Lívia Maria Mattos, da Comarca de Passo de Camaragibe, condenou a ex-prefeita e o ex-secretário de finanças do município, Pedro Melo de Albuquerque Neto, por improbidade administrativa. Os réus tiveram os bens declarados indisponíveis pela Justiça e deverão ressarcir R$ 374.382,51 aos cofres públicos.

Nos três municípios onde os ex-prefeitos considerados inelegíveis vão ainda assim tentar concorrer; Maragogi, Porto Calvo e Passo de Camaragibe; os atuais gestores, Sérgio Lira, David Pedrosa e Vânia Câmara, todos consolidados em suas convenções municipais, gozam de ampla aceitação popular, baseada em pesquisas e até o momento, não precisam de calmantes para dormir.

Fonte: Tribuna Hoje / Texto: Claudio Bulgarelli - Sucursal Região Norte

Comentários

MAIS NO TH