Política

8 de agosto de 2020 11:06

 Escolha do vice lida com esvaziamento de lideranças

Pré-candidatos ainda debatem a escolha de seus vices e somente Alfredo Gaspar já tem um nome

↑ Alfredo Gaspar de Mendonça é o único pré-candidato que vem falando abertamente sobre o seu vice, o ex-secretário Tácio Melo (Foto: Sandro Lima)

Para muita gente, a escolha do vice numa chapa para concorrer às eleições não é fator determinante, ao menos do ponto de vista eleitoral. “Ninguém vota em vice”, diz o senso comum. Contudo, o parceiro do candidato principal ao Poder Executivo, em boa medida, traz consigo a representação do grupamento que apoia determinada candidatura – ou mesmo simboliza quem a banca, pelo menos quando era permitido o financiamento privado de campanhas eleitorais.

Em Maceió, para a disputa pela Prefeitura, apenas um nome já foi anunciado com vice: Tácio Melo (Podemos) para compor chapa com Alfredo Gaspar (MDB). Para o cientista político Ranulfo Paranhos, a falta de confirmações dos vices é reflexo de esvaziamento de lideranças políticas.

“A escolha do vice sempre foi feita para maximizar a chance de vitória. O vice é alguém que tem inserção em algum setor da sociedade ou no meio político”, pontua. “Aqui em Maceió, especificamente, eu acredito que a escolha de vice passa por um esvaziamento de lideranças. Os nomes não foram apresentados porque as alianças ainda são frágeis, porque se teve o adiamento da campanha, mas, essencialmente, porque não se tem lideranças reconhecidas a ponto dos candidatos a prefeito dizerem que tal nome deve ser seu vice por representar alguma coisa”, analisa Ranulfo Paranhos.

Contudo, o cientista político não considera que essa realidade seja apenas local. Ele também aponta o aumento de foco na conjuntura nacional como fator de enfraquecimento na política local.

“Não creio que seja culpa do cenário local [falta de lideranças], eu diria que não. A gente está muito voltado – há muito tempo – para a política nacional. Ela tem sido tão efervescente e tão diária que atrai a atenção só para si. Isso mudou nosso foco. Há muito bombardeio de informações sobre a política nacional do que a local, da rua”, comenta Ranulfo Paranhos.

PRAZO

As indicações de vice têm de ser realizadas até 16 de setembro, data-limite para a realização das convenções partidárias, adiadas com a promulgação da Emenda Constitucional 107/2020, por 42 dias, proporcionalmente ao adiamento da votação, cujo primeiro turno passou para 15 de novembro.

INDICAÇÕES E QUESTIONAMENTOS

A chapa Alfredo Gaspar/Tácio Melo é resultado da união eleitoral entre o governador Renan Filho (MDB) e o prefeito Rui Palmeira (sem partido), que vinham rivalizando os últimos pleitos. Contudo, tem circulado nas redes sociais vídeos do indicado do chefe do Executivo municipal em que ele ataca o senador Renan Calheiros (MDB), pai do governador. Para Ranulfo Paranhos, isso é algo sanável.

“Isso é superável e faz parte do jogo político. Num momento se está num lado e nada impede que se assuma outra posição alguns anos depois. Não acho que cause tanto desgaste. Entendo que caso concreto aí é criar um cenário de instabilidade interna, comenta o cientista político. “Se fosse algo não superável, o governador teria vetado o nome”, completa.

Além de Tácio, outros nomes foram cogitados

À Tribuna, o próprio Tácio Melo – assim como em entrevista à edição de 20 e 21 março – afirma não haver problema pessoal algum com o governador e com o senador.

“Fomos adversários em algumas eleições, jamais inimigos. Estamos todos juntos trabalhando para eleger o Dr. Alfredo Gaspar, um candidato que tem o nosso apoio por saber do que o povo precisa e tenho certeza que fará um grande trabalho na Prefeitura de Maceió”, diz o candidato a vice-prefeito na chapa de Alfredo Gaspar.

Tácio Melo não era o único nome ventilado para ocupar o espaço a ser indicado pelo prefeito Rui Palmeira. O vereador Eduardo Canuto (Podemos) também teve seu nome especulado e também é bastante próximo ao prefeito que explica, através de sua assessoria, suas razões à reportagem.

“Primeiro, porque Eduardo Canuto decidiu ser candidato à reeleição e porque Tácio Melo é um nome de extrema confiança do Rui como político e como gestor. Na opinião de Rui, Tácio já leva consigo a experiência de gestor na SMTT, Semtabes, Sima e Secretária de Governo”, afirma a assessoria do prefeito de Maceió.

A Tribuna também procurou os candidatos João Henrique Caldas (PSB), conhecido como JHC; Ronaldo Lessa (PDT) e Davi Davino (PP), tidos como os principais nomes para a disputa eleitoral deste ano na capital alagoana. Além de Tereza Nelma, que preside o Diretório Municipal do PSDB de Maceió, uma vez que o partido lançou nota – assinado por ela – afirmando que participaria da disputa majoritária com a indicação de uma mulher. Tudo indica que o partido comporá chapa com JHC.

“As candidaturas do grupo do qual Davi faz parte [inclusive o vice], serão definidas na convenção partidária. Até lá, Davi não responde como pré-candidato”, diz a assessoria de Davi Davino.

Apesar de ter dado esta resposta, Davi Davino já vem trabalhando em alianças para fortalecer a sua candidatura à Prefeitura de Maceió, aguardando, inclusive o apoio do PSD, do deputado federal e líder da bancada alagoana, Marx Beltrão.

Além de esperar este apoio, Davino conta com reforços de peso na política, a exemplo do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Marcelo Victor (SD) e do deputado federal Arthur Lira (PP).

PSDB decide por indicação de mulher para composição na majoritária

Presidente municipal do PSDB em Maceió, a deputada federal Tereza Nelma relata que já se reuniu com o deputado federal JHC, que é pré-candidato a prefeito na capital, bem como com o senador Rodrigo Cunha, que garante apoio a JHC, no entanto o debate teve um tom de estratégia. Nelma informou, ainda, que após este encontro, o PSDB definiu que indicará uma mulher para a composição da chapa majoritária.

“Depois que assumi a presidência do PSDB de Maceió, tive uma conversa preliminar com o pré-candidato a prefeito do PSB, deputado federal JHC, junto com o senador Rodrigo Cunha. Falamos sobre estratégias, projetos e programas para Maceió, mas não acertamos nada sobre coligação ou candidaturas. Inclusive porque o PSDB não havia discutido essa questão em suas instâncias de direção. Existem opiniões públicas de parlamentares e dirigentes do PSDB, mas não do coletivo partidário. A Executiva Municipal, depois desse encontro, decidiu que o partido indicará uma mulher para compor numa chapa majoritária de candidatura à prefeitura de Maceió”, relata Tereza Nelma. “Chegaram até a especular que seria minha filha, a Teca Nelma. Mas não é verdade. Ela é pré-candidata a vereadora. A nossa indicada vai ser escolhida com transparência, pelo Diretório Municipal”, completa.

A presidente do PSDB em Maceió ressalta haver uma resolução da direção nacional do partido em que aponta para candidaturas próprias da legenda nos municípios com mais de 100 mil eleitores.

“Estamos discutindo as condições de Maceió, onde podemos somar e formar uma coligação com forças políticas próximas, com passado e presente de luta pela democracia participativa e a inclusão social. Mas o que está certo, até hoje, é que teremos uma mulher para compor numa coligação majoritária”, pontua Tereza Nelma.

TEM CREDENCIAL

Na última semana, a escolha do vice foi um debate contínuo na chapa encabeçada pelo pré-candidato do MDB, Alfredo Gaspar de Mendonça. Ao portal Cada Minuto, o ex-procurador-geral de Justiça do Ministério Público Estadual garantiu que o indicado do prefeito Rui Palmeira, Tácio Melo, tem todas as credenciais para qualquer candidatura.

“Ter Tácio como parceiro na eleição municipal muito me honra. Ele tem uma carreira exitosa e foi isso que o credenciou para presidir o Podemos em Alagoas e a compor a nossa pré-candidatura. A chegada de Tácio vem consolidar a aproximação de propósitos, pautada sempre no que for melhor para os maceioenses”, destacou Alfredo Gaspar em matéria publicada pelo Cada Minuto.

POSIÇÃO DO DEM

Ainda é aguardada pelos partidos o direcionamento político que o Democratas (DEM) irá tomar na eleição para Prefeitura de Maceió. Segundo o presidente estadual da sigla, José Thomaz Nonô, o partido deve informar quem apoia somente nas convenções.

No entanto, já foi veiculado que o nome do deputado Davi Maia, que está com apoio fechado à pré-candidatura de JHC, poderia ser o vice na chapa liderada pelo deputado federal. Maia, por sua vez, tem dito que é preciso aguardar a definição do presidente estadual do DEM.

PDT, DE LESSA

O PDT mantém na disputa o nome do ex-governador e ex-deputado federal Ronaldo Lessa para a disputa pela Prefeitura de Maceió. Também já foi divulgado que o partido poderia ter a ex-senadora e ex-vereadora Heloisa Helena (Rede) como vice devido a uma transmissão ao vivo de um bate-papo entre Lessa e Heloisa. No entanto, a composição já foi descartada.

Fonte: Carlos Amaral / Tribuna Independente

Comentários

MAIS NO TH