Política

4 de agosto de 2020 07:43

Pragmatismo define apoios em Maceió, diz cientista político

Parlamentares se mobilizam e definem quem serão os seus candidatos na campanha pela corrida à Prefeitura

↑ Cibele Moura, do PSDB, decidiu postergar apoio a Davi Davino; Bebeto escolheu os socialistas do PSB (Fotos: Ascom / ALE)

Na medida em que as convenções eleitorais se aproximam e as candidaturas vão sendo definidas, os apoios aos nomes postos começam a surgir. Alguns, inclusive, independentemente de legenda ou de campo ideológico. Na última semana, dois casos chamaram a atenção: a adesão da deputada estadual Cibele Moura (PSDB) a Davi Davino (PP) e do deputado estadual Cabo Bebeto (sem partido) a João Henrique Caldas (PSB), conhecido como JHC. Para o cientista político Ranulfo Paranhos, as escolhas são fruto de pragmatismo, deixando de lado as questões ideológicas e de filiação partidária.

“Cabo Bebeto não tem partido, Bolsonaro não tem partido, e ele precisa de algum para as eleições de agora, não pode ficar parado e, por pragmatismo, foi para o JHC. O PSB é de centro-esquerda, mas será que o cabo Bebeto tem noção clara do que é isso? A gente não sabe. O PSB está fazendo, inclusive, aliança nacional com o PDT e tentando retomar o debate trabalhista que o PDT tinha com o Brizola”, pontua o cientista político.

Já sobre Cibele Moura, Ranulfo Paranhos questiona que saldo político a deputada estadual teria ao apoiar seu colega de ALE.

“Me estranha esse movimento da Cibele, pois ela faz parte do governo e integra o Livres. Se você olhar o Davi Davino, só num universo paralelo o Livres o apoiaria porque se trata de um agrupamento liberal nos costumes e na economia. Não se sabe o motivo desse movimento, daí aposto no pragmatismo. Pode haver questões pessoais também, mas não se sabe. Tampouco, o que ela ganha politicamente com isso”, analisa o cientista político.

O PSDB deve fechar com JHC, dada a relação próxima entre presidente estadual, o senador Rodrigo Cunha e o deputado federal. Mas o martelo ainda não foi batido oficialmente no ninho tucano, cujo comando na capital alagoana é da deputada federal Tereza Nelma. À Tribuna, Cibele Moura evita entrar na questão partidária ao defender seu posicionamento.

“Vou votar no Davi por acreditar em sua capacidade, por acreditar que ele pode, sim, fazer um bom trabalho por Maceió. É um deputado jovem, atuante, acompanho o trabalho dentro da Assembleia Legislativa e acho que é o melhor nome que se coloca para disputar a Prefeitura de Maceió. A minha definição é por acreditar no projeto do Davi, por acreditar no Davi, pura e simplesmente”, afirma a parlamentar.

A reportagem procurou Tereza Nelma, através de sua assessoria, mas até o fechamento desta edição não houve resposta. Contudo, também na última semana, a presidente do PSDB em Maceió divulgou nota na qual afirma que o partido deverá “participar da composição da chapa majoritária, sempre visando o fortalecimento de uma composição de superação de problemas da capital, de Alagoas e do país; O PSDB, levando em consideração a necessidade de fortalecimento da participação das mulheres na política, indicará uma candidata para compor na chapa majoritária”.

Outro caso que chamou a atenção do noticiário político alagoano foi a declaração de apoio do deputado estadual Cabo Bebeto à candidatura de JHC. Chama a atenção o fato de o membro da Assembleia Legislativa do Estado (ALE) ter sido eleito tendo como parte importante de seu discurso o ataque a legendas à esquerda no espectro político brasileiro, como o socialista PSB, de JHC.

Em suas redes sociais, Cabo Bebeto explicou suas razões pelo apoio ao deputado do PSB. Segundo ele, sua decisão foi influenciada pelo deputado federal Eduardo Bolsonaro, filho do presidente da República Jair Bolsonaro.

“Eu sempre decido minhas coisas sozinho, mas procuro ouvir mais pessoas. Estive em Brasília e tive uma conversa com Eduardo Bolsonaro e expliquei a situação da eleição para prefeito em Maceió. Ele me disse que ‘diante da situação, votaria em JHC, além de ser amigo meu. O pessoal diz que ele é de esquerda, mas não é não. Ele vota quase tudo com a gente’”, relata. “Tenho conversado com várias pessoas. Essa semana estive com o JHC e decidi anunciar que iria apoiá-lo. Faço isso de coração aberto”, completa Cabo Bebeto.

A reportagem da Tribuna Independente contatou JHC, por meio de sua assessoria, mas até o fechamento desta edição não houve resposta. Contudo, na postagem citada de Cabo Bebeto, ele escreveu o seguinte comentário: “É com essa sua postura de transparência, coragem e independência que vamos construir um novo caminho para Maceió”.

Comentários

MAIS NO TH