Política

4 de agosto de 2020 08:41

Bolsonaro recria SNI como Centro de Inteligência Nacional contra “ameaças ao Estado”

Novo órgão deverá planejar e executar atividades de inteligência destinadas "ao enfrentamento de ameaças à segurança e à estabilidade do Estado e da sociedade" e implementar a "produção de inteligência corrente e a coleta estruturada de dados"

↑ Jair Bolsonaro (Foto: Isac Nóbrega/PR)

Jair Bolsonaro recriou o antigo SNI, o Serviço Nacional de Informações, por decreto publicado na última sexta-feira, com o nome de Centro de Inteligência Nacional. Na prática, o novo órgão recria o SNI – Serviço Nacional de Informações da ditadura militar, responsável pela espionagem partidos políticos, organizações sociais e mesmo de atividades internas do estado nacional.

O novo órgão deverá planejar e executar atividades de inteligência destinadas “ao enfrentamento de ameaças à segurança e à estabilidade do Estado e da sociedade” e implementar a “produção de inteligência corrente e a coleta estruturada de dados”.

O Centro de Inteligência Nacional também irá planejar e executar atividades para assessorar os órgãos competentes relacionadas a políticas de segurança pública e à identificação de ameaças decorrentes de atividades criminosas, além de realizar pesquisas de segurança para credenciamento e análise de integridade corporativa, informa O Globo.

As medidas previstas no decreto entram em vigor no próximo dia 17.

Há quatro meses, Bolsonaro se queixou da falta de informações de serviços de inteligência e fez críticas à Abin.

O diretor-geral da Abin terá até 30 dias, depois que o decreto entrar em vigor, para publicar a relação de titulares dos cargos comissionados da nova estrutura.

Fonte: Brasil 247

Comentários

MAIS NO TH