Política

5 de junho de 2020 08:31

Deputados bolsonaristas invadem hospital de campanha do Pacaembu e disparam agressões

Em vídeo divulgado nas redes, Adriana Borgo (Pros) diz que "não tem doente porcaria nenhuma" no hospital e critica as medidas de isolamento social

↑ Coronel Telhada (Foto: Reprodução)

Sob o argumento de que estariam realizando uma “vistoria”, cinco deputados estaduais bolsonaristas invadiram o hospital de campanha no Anhembi, em São Paulo, na tarde desta quinta-feira (4). Em vídeos postados nas redes sociais, parlamentares criticam o governador João Doria (PSDB) e minimizam a pandemia, dizendo que há supernotificação de casos no estado.

Participaram da invasão os deputados Adriana Borgo (Pros), Marcio Nakashima (PDT), Leticia Aguiar (PSL), Coronel Telhada (PP) e Sargento Neri (Avante). De acordo com o jornal Folha de S.Paulo, eles forçaram a entrada no local, inclusive em áreas com alto risco de contaminação, causando tumulto.

O próprio deputado Coronel Telhada confirmou que ida dos deputados gerou um “vuco-vuco” e “xingação” no hospital. De acordo com ele, no entanto, parlamentares estavam lá para fiscalizar o local e “mostrar a realidade”.

“O que o pessoal tá apavorado é que nós vamos mostrar que não tem ninguém nessa área. Não tem camas, não tem equipamentos, não tem respirador, não tem nada. Se tivesse uma pandemia, elas não seriam internadas aqui”, disse o Coronel em vídeo. “É uma cidade fantasma”, continua.

Também em vídeo divulgado na internet, Adriana Borgo disse que “não tem doente porcaria nenhuma” no hospital de campanha. Ela também criticou as medidas de isolamento social, recomendadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

A Prefeitura afirmou em nota que “os deputados e assessores invadiram o HMCamp do Anhembi de maneira desrespeitosa, agredindo pacientes e funcionários verbal e moralmente, colocando em risco a própria saúde porque inicialmente não estavam usando EPIs e a própria vida dos cidadãos que estão internados e em tratamento na unidade.”

Ainda de acordo com a gestão municipal, os deputados filmaram as alas do hospital que ainda não foram ativadas “e gravaram pacientes sem autorização prévia, muitos dos quais estavam sendo higienizados em seus leitos”.

Fonte: Revista Fórum

Comentários

MAIS NO TH