Política

28 de maio de 2020 09:10

Em live com investigados pela PF, Eduardo Bolsonaro diz que planeja ‘ruptura’ no Brasil

"Entendo as pessoas que querem evitar esse momento de caos, mas não é mais uma opção", disse o filho do presidente

↑ Eduardo Bolsonaro com Bia Kicis e Carla Zambelli (Reprodução/Youtube)

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) afirmou em live com bolsonaristas investigados pela Polícia Federal por propagação de fake news, nesta quarta-feira (27), que participa de reuniões em que se discute quando acontecerá “momento de ruptura” no Brasil.

Filho do presidente também disse que não tem dúvida de que será alvo de uma investigação em breve. Declaração foi feita em conversa com o blogueiro Allan dos Santos, do Terça Livre, e com a deputada federal Bia Kicis (PSL-DF), ambos investigados pelo Supremo. O guru do bolsonarismo, Olavo de Carvalho, e o médico Ítalo Marsili também participaram da transmissão.

“Não tenho nem dúvida que amanhã vai ser na minha casa [que cumprirão mandado de busca], que se nós tivermos uma posição colaborativa [com o Supremo], vão entrar na nossa casa, dando risada. Até entendo quem tem uma postura moderada, vamos dizer, para não tentar chegar a momento de ruptura, a momento de cisão ainda maior, conflito ainda maior”, afirmou o deputado.

“Entendo essa pessoas que querem evitar esse momento de caos. Mas falando bem abertamente, opinião de Eduardo Bolsonaro, não é mais uma opção de se, mas, sim, de quando isso vai ocorrer”, continuou.

Eduardo disse ainda que discussões como essa são “comuns” e que a história “vai apenas se repetindo”.

“E não se enganem, as pessoas discutem isso. Essas reuniões entre altas autoridades, até a própria reunião de dentro de setores políticos, eu, Bia, etc, a gente discute esse tipo de coisa porque a gente estuda história. A gente sabe que a história vai apenas se repetindo. Não foi de uma hora para outra que começou a ditadura na Venezuela, foi aos poucos”, afirmou.

OLAVO DE CARVALHO

Em live na noite desta quarta-feira (27) com o deputado Eduardo Bolsonaro, o guru do fascismo bolsonarista Olavo de Carvalho, pregou “pena de morte” ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, responsável pelo inquérito que desencadeou a operação da Polícia Federal (PF) contra a milícia digital bolsonarista pela manhã.

Bolsonaro com editores do site de Olavo de Carvalho, Paulo Briguet e Bernardo Küster (Reprodução/Twitter)

“Essa gente não deveria ter o direito de abrir a boca. Para mim, esse Alexandre de Moraes tem que ser posto na cadeia e não ter o direito de falar. Eu sou a favor da pena de morte para esses casos”, afirmou o astrólogo, mentor intelectual da maioria dos integrantes do grupo criminoso.

Participaram da live também a deputada Bia Kicis (PSL-DF), o blogueiro Allan dos Santos, que são alvos da investigação, e o psiquiatra Italo Marsili, que chegou a ser cotado para o Ministério da Saúde, que não se pronunciaram sobre a fala do guru.

Nas redes sociais, Olavo passou o dia municiando com mensagens, vídeos e fake news a milícia digital bolsonaro. Em uma das publicações, ele fala diretamente com Jair Bolsonaro para colocar “os juízes criminosos na cadeia antes que eles o ponham”.

“Sr. Presidente: Como o senhor permite que a sua Polícia Federal tome parte em AÇÕES ILEGAIS contra brasileiros cujo único crime foi o de apoiá-lo? Ponha os juízes criminosos na cadeia antes que eles o ponham”, afirmou.

Fonte: Revista Fórum

Comentários

MAIS NO TH