Política

27 de maio de 2020 09:14

Pressionado, Rui Palmeira anuncia renovação de decreto

Prefeito de Maceió afasta possibilidade de lockdown e diz estar seguindo todos os protocolos técnicos para isolamento social

↑ Centro de Maceió permanece fechado enquanto as taxas de contágio de Covid-19 continuam subindo (Foto: Adailson Calheiros / Arquivo)

A capital alagoana segue em isolamento social por mais algum tempo para combater a pandemia de covid-19. O anúncio de renovação do decreto de isolamento em Maceió, a partir de 2 de junho, foi realizado pelo prefeito Rui Palmeira (sem partido) durante entrevista coletiva na terça-feira (26), mas descartou o lockdown – termo usado para o fechamento completo de todas as atividades e controle de pessoas nas ruas.

O prefeito disse conhecer as pressões, especialmente do comércio, nas redes sociais, mas ressaltou basear suas decisões sobre o tema na ciência.

“Estamos tranquilos, seguindo os protocolos técnicos e não pressão de rede social. Sabemos que boa parte de alguns seguimentos continuarão fechados por um bom tempo, pois não dá para imaginar que bares e restaurantes voltarão a funcionar em curto prazo”, comenta. “Mas analisando a curva baixando podemos iniciar a abertura de alguns setores”, completa Rui Palmeira.

Os últimos levantamentos da empresa InLoco sobre isolamento social em Maceió apontam índices próximos a 60%. Mesmo assim, o prefeito pondera que isso não tem gerado o achatamento da curva de contágio. Então, por que não fazer uso do lockdown? Para Rui Palmeira, a medida não tem a eficácia propagada, mas pede mais engajamento da população para ficar em isolamento.

“Já endurecemos todo o possível. Nosso apelo é sempre para que as pessoas continuem nesse sacrifício do isolamento social, que é a forma de evitar o contágio. Mesmo com esse aumento de leitos, se as pessoas não cumprirem o isolamento, fatalmente irá faltar leito na cidade de Maceió”, diz o prefeito de Maceió.

REABERTURA SEGURA

A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Alagoas (Fecomércio), por meio de sua assessoria, diz que só irá se pronunciar sobre o novo decreto de isolamento social de Maceió após sua publicação. No entanto, a entidade ressalta que “sempre defendeu a reabertura do comércio de forma segura, em consonância com as recomendações dos órgãos de saúde”.

A reportagem procurou a Associação Comercial de Maceió, mas até o fechamento desta edição não houve resposta.

Fonte: Tribuna Independente / Texto: Carlos Amaral

Comentários

MAIS NO TH