Política

21 de maio de 2020 13:05

Ricardo Nezinho defende a participação efetiva do PSF na luta contra a Covid-19

Deputado afirma que mapeamento domiciliar pode tratar a doença na fase inicial

O deputado Ricardo Nezinho ( MDB), durante sessão plenária online desta quarta-feira, 20, na Assembleia Legislativa Estadual, cobrou a união de forças dos governos federal, estadual e municipal no enfrentamento à Covid-19.

Durante o seu pronunciamento por vídeo conferência, o deputado citou a importância da estrutura da Atenção Básica da Saúde, com o Programa Saúde da Família (PSF), como forma de tratar os casos do novo Coronavirus logo no início dos primeiros sintomas da doença, e não em casos graves que precisem de internação em UTIs.

Ricardo Nezinho citou o exemplo da cidade de Floriano (PI), onde os pacientes recebem tratamento ao aparecerem os primeiros sintomas da doença.

” Lá, eles estão usando nesta fase a azitromicina, ivermectina e a Hidroxicloroquina e outros medicamentos por meio de prescrição médica, mas o meu foco maior, disse o parlamentar em seu pronunciamento, é a grande esperança na luta contra a pandemia, neste momento, com a atenção básica em que os agentes de saúde atuem antes que o paciente tenha sintomas mais fortes e suas imunidades ainda estão fortes”, disse Nezinho.

Diagnóstico inicial

Mostrando bastante preocupação como parlamentar e também como pessoa, que não está imune a esse inimigo invisível, o deputado explicou que, se o paciente for atendido nesta primeira fase da doença, normalmente não precisará ser encaminhado a um hospital de campanha, Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e, muito menos a uma UTI. “É com este raciocínio que prego sempre a união. O município precisa estar presente através do Programa de Saúde da Família (PSF), com os médicos,enfermeiros, auxiliar e técnico de enfermagem e os agentes de saúde e de endemias fazendo visitas diárias nos lares das pessoas e vendo como elas estão de saúde, verificando, inclusive, a temperatura”, afirmou.

Ricardo Nezinho chamou ainda a atenção para o fato de que grandes nações desenvolvidas e com uma saúde de alta qualidade, como a própria China, onde tudo começou, países da Europa como Espanha, Itália, além dos Estados Unidos, estão perdendo essa guerra biológica, e por isso que volto a defender a participação efetiva do Programa da Saúde da Família como instrumento de muita eficácia no tratamento da doença, principalmente porque acompanha o paciente desde os primeiros sintomas virais, afirma o parlamentar.

Ricardo Nezinho também defendeu a imediata participação nesse processo dos agentes de saúde e de endemias, como forma de melhorar o atendimento no Programa de Saúde da Família, por serem os profissionais que estão em contato com as comunidades e possam fazer um diagnóstico inicial, sabendo como está o quadro de saúde de cada pessoa, e percebendo algo de anormal como febre alta, tosse ou outros sintomas similares que possam ser encaminhadas aos médicos, mesmo antes da doença se agravar, disse ele.

Ao concluir, Ricardo Nezinho fez questão de lembrar que se faz necessário detectar os primeiro sintomas. “Isso, com certeza, evitaria vários internamentos, inclusive com o uso de aparelhos respiratórios. Vamos atuar nos primeiros sintomas para depois, se precisar, usar os hospitais de campanhas e as UTIs. É uma guerra que as grandes potências mundiais estão perdendo e que Alagoas pode ganhar, se atuar na fase inicial”, afirmou.

Fonte: Tribuna Hoje com assessoria

Comentários

MAIS NO TH