Política

7 de abril de 2020 07:31

Prefeito pode ter ‘plano B’ na eleição em Arapiraca

Vereadora Gilvânia Barros decidiu sair do MDB e filiou-se ao partido Solidariedade

↑ Gilvânia Barros estava no MDB e se filiou ao Solidariedade (Foto: Assessoria)

No quarto mandato na Câmara Legislativa de Arapiraca, a vereadora Gilvânia Barros aproveitou o prazo da Justiça Eleitoral, com a janela partidária encerrada no último sábado (4), e decidiu sair do MDB e filiou-se ao partido Solidariedade.

A mudança de legenda já era prevista, uma vez que o MDB é oposição ao prefeito Rogério Teófilo (PSDB), e Gilvânia Barros faz parte do grupo de sustentação do gestor na Câmara de Vereadores de Arapiraca.

Ex-presidente da Câmara de Arapiraca e esposa do ex-vereador Ted Pereira, Gilvânia Barros também é tia do deputado estadual Gilvan Barros Filho.

Mas a surpresa mesmo foi o anúncio de que a vereadora é pré-candidata à sucessão de Teófilo, na eleição até o momento prevista para quatro de outubro deste ano.

O ex-partido de Gilvânia Barros terá uma candidatura própria forte e deve marchar com o vice-governador Luciano Barbosa ou o nome do deputado estadual Ricardo Nezinho.

Com uma reeleição à Câmara praticamente garantida, o maior questionamento dos arapiraquenses é sobre o que teria motivado a vereadora anunciar seu nome como pré-candidata à prefeita.

Se for à disputa e perder a eleição, Gilvânia Barros ficará quatro anos sem mandato. Mas informações que circulam nos bastidores políticos é de que a vereadora pode ser o plano B de Teófilo, na corrida sucessória, em Arapiraca.

O vice numa suposta chapa seria Moacir Neto, filho de Teófilo, que atualmente tem o status de secretário-executivo de Gabinete na gestão municipal.

O prefeito tucano vem enfrentando um sério problema de saúde, há cerca de um ano, e, além disso, as mais recentes pesquisas mostram que a gestão de Teófilo é desaprovada por mais de 70% dos moradores da Capital do Agreste.

Por conta disso, os analistas políticos avaliam que o prefeito estaria testando o nome de Gilvânia Barros como um possível plano B numa virtual desistência de seu nome na tentativa de reeleição.

Fonte: Tribuna Independente / Davi Salsa

Comentários

MAIS NO TH