Política

7 de abril de 2020 12:07

Embate político esquenta em Junqueiro/AL com opositor cobrando peixe para o povo

Na eleição passada o prefeito teria sido eleito com uma diferença de apenas 3 votos, dentro de um universo de cerca de 25 mil eleitores votantes

↑ Leandro Silva entende que a distribuição de peixe nesse período é uma obrigação de quem governa o município

O empresário Leandro Silva (PTB) que mais uma vez está anunciando seu nome na disputa pela Prefeitura de Junqueiro/AL, sobretudo para superar a dramática eleição passada, quando foi derrotado por uma diferença de apenas 3 votos; ele que teve no geral 6.961 votos, está detonando seu adversário, o atual prefeito Carlos Augusto, por esse descumprir uma lei municipal; de maneira que está deixando as camadas pobres junqueirenses, sobretudo nesse período de crise sem o tradicional alimento da Semana Santa.

“Esse cidadão Carlos Augusto resolveu agora quebrar uma tradição que reina há décadas em nossa cidade; que é a distribuição de peixe e alimentos da Semana Santa. Está  usando como pretexto a questão de aglomeração de pessoas; mas porque ele não viabiliza a entrega de porta em porta ?”, questiona Leandro cobrando do gestor num vídeo postado nas redes sociais, dando conta de que o  prefeito está infringindo uma Lei Municipal, criada especificamente para essa finalidade de atender a pobreza.

Em contato com a nossa reportagem, Leandro Silva disse que sua candidatura está mais firme do que nunca; e que mesmo como apoio do Governo do Estado, Carlos Augusto  não terá sucesso nessa sua reeleição. Narrou  que o prefeito a convite  do governador Renan Filho se filiou no MDB, porém, Carlos Augusto viabilizou a ida de cinco vereadores de mandatos do MDB para o PP de Biu de Lira; não entendo qual a pretensão de seu adversário. “Afinal de contas o prefeito quer agradar a quem? os Calheiros;  ou os Lira?” disse  num tom de gozação.

Rebate

Nossa reportagem ouviu o prefeito, Carlos Augusto sobre a questão da não distribuição do peixe. Disse que essa medida foi decidida pelo fato do fornecedor poder falhar na entrega  nesse período de crise, onde se planejava a compra de 25 toneladas, com custos na ordem de 175 mil reais. “Optamos pela entrega de cestas básica destinadas para duas mil famílias carentes, cuja distribuição de porta em porta começa nesta quarta-feira; isso dará um custo de cerca de 200 mil, isso já contabilizando com mais duas mil que foram entregues ao alunos da rede pública municipal” pontuo  o prefeito, salientando que a logística para fazer um trabalho desse tipo  (peixe) requer muito problema, pois 80% da população vivem na zona rural ocupando 46 povoados.

Sobre sua filiação no MDB, Carlos Augusto disse que foi de livre e espontânea vontade, sobretudo, como forma de gratidão por um trabalho que vem desenvolvendo dentro do município em parceria com o governo do Estado. Quanto aos cinco vereadores que debandaram do MDB para o PP, isso, segundo ele,  foi uma questão pessoal de cada parlamentar. “Pois se trata de uma questão que eu não meti o bico” taxou o prefeito, salientando que na Câmara só tinha um vereador do MDB, esse mudou de sigla assim como outros de legendas diferentes.

Fonte: Edmílson Teixeira

Comentários

MAIS NO TH