Política

3 de abril de 2020 07:49

Carimbão vai disputar vaga na Câmara de Maceió pelo MDB

Ex-deputado federal destaca que Alfredo Gaspar, se vencer, precisa de bancada forte no Legislativo

↑ Carimbão diz ter esperado até o último minuto para se filiar ao MDB (Foto: Edilson Omena/arquivo)

Vereador em Maceió por três mandatos entre 1989 e 1999, Givaldo Carimbão – que se filiou recentemente no MDB – quer voltar às origens e será candidato a uma das 25 vagas na Câmara Municipal da capital do estado, nas eleições de outubro.

À Tribuna, o ex-deputado federal falou do seu retorno para a política, após não ter sido reeleito para a Câmara dos Deputados nas eleições de 2018. Ele destacou ainda que está entusiasmado em ajudar na candidatura de Alfredo Gaspar de Mendonça Neto (MDB) para prefeito de Maceió.

“Sou muito amigo do Alfredo. Tive uma conversa com o governador Renan Filho e ele me disse que Alfredo ganhando a eleição é importante ter uma bancada de vereadores de nível e experiência para ajudar o Alfredo”, disse Carimbão.

O ex-deputado federal explicou ainda que sua saída do Avante foi condicionada ao fato de que o partido não conseguiu montar chapa de vereador em Maceió.

“Conversei com presidente Nacional do Avante, Luiz Tibé e com o presidente estadual Marcus Toledo. Pretendia continuar no partido, por isso esperei até o último momento, mas não tive outra opção e escolhi o MDB em função da relação com o governador Renan Filho. Aliás, dos 32 partidos acho que só 10 ou 12 vão conseguir lançar chapa na capital”.

Em sua avaliação o MDB deve fazer de oito a 10 vereadores. Carimbão ressaltou ainda que um dos seus propósitos de retornar para a política é ajudar a fazer Alfredo Gaspar, prefeito de Maceió. Ele também falou da sensação de retornar para a Câmara Municipal, caso venha a ser eleito em outubro.

“A ausência dos homens de bens na política fomenta os maus. Se o homem de bem não ocupa o espaço, os ladrões e bandidos vão ocupar e Alfredo precisa de uma bancada que dê suporte a ele. Não dá para discutir com o Alfredo os modelos operantes convencionais, toma lá, dá cá, pragmatismo, o modelo é outro. Como homem público eu sempre procurei servir. Minha história por Maceió é antiga. Eu comecei em 1988 como líder de Guilherme Palmeira na Câmara. Maceió não tinha plano diretor e eu e Ronaldo Lessa em 88 junto de Aliomar Lins, Marcus Vasconcellos nós que tiramos da gaveta e conseguimos aprovar nos meus primeiros quatro anos como vereador de 88 a 92. Sempre procurei criar políticas públicas”.

Fonte: Tribuna Independente / Carlos Victor Costa

Comentários

MAIS NO TH