Política

22 de fevereiro de 2020 09:17

Saída de Rui pode gerar “revoada tucana”

Prefeito de Maceió encaminha à executiva nacional o comunicado de desfiliação do PSDB após não aceitar apoio a outros partidos

↑ Rui Palmeira cita que o PSDB poderia lançar candidato, pois Maceió conta com mais de 100 mil habitantes (Foto: Edilson Omena) (Foto: Edilson Omena)

O prefeito de Maceió, Rui Palmeira confirmou que há tempos já dava indícios: se desfiliar do PSDB, partido que o acompanhar desde o final do mandato de deputado estadual, federal e duas vezes consecutivas, gestor da capital alagoana. Na última sexta-feira (21), Rui encaminhou à direção nacional do partido o seu pedido oficial de desfiliação da sigla. Após defender a candidatura própria do PSDB nas eleições para prefeitura na capital, o gestor se desliga do partido.

Com esta atitude, Rui Palmeira pode levar consigo para outra agremiação, importantes lideranças politicas da capital, causando um “racha” no tucanato de Maceió. O vereador Kelmann Vieira, atual presidente da câmara de vereadores e o secretário municipal de gestão, Eduardo Canuto, já externaram a sua disposição e apoio em relação a Rui Palmeira.

“Defendo a candidatura própria do PSDB à prefeitura da capital na eleição deste ano. Cobrei da Executiva nacional o cumprimento de uma resolução que determina candidatura própria do partido em cidades com mais de 100 mil eleitores, que é o caso de Maceió. Espero que a executiva nacional faça valer a resolução da própria legenda acerca desse assunto, para definir minha permanência no PSDB”, afirmou Rui Palmeira quando esteve em contato com a Tribuna, ainda filiado ao PSDB.

Em contato com o secretário Municipal de Gestão, Eduardo Canuto, que é vereador pelo PSDB e está licenciado, a maior dificuldade agora é manter a unidade dentro do PSDB, já que Rui Palmeira  e Rodrigo Cunha (senador e atual presidente estadual) têm posições opostas. “A dificuldade é o interesse do Rodrigo [Cunha] de lançar o JHC e isso nós não entendemos. Dentro do estatuto do partido tem um item que em cidades acima de 100 mil habitantes o partido terá candidatura própria e insiste em uma candidatura do PSB que não goza de nenhuma confiança nossa e nem simpatia do nosso grupo. Têm os dois nomes e ainda tem a Tereza Nelma, nossa deputada federal”.

Para o presidente da Câmara de Vereadores, Kelmann Vieira, a posição do senador Rodrigo Cunha pode levar a uma desfiliação de nomes do PSDB em Alagoas. “A questão é que Rui já se posicionou que não apoiará JHC, então, a minha opinião acho que Rui tende a deixar o PSDB. A intenção é Rui sair do PSDB. E vou acompanhar sua decisão”, garantiu o vereador ao ser questionado pela Tribuna.

A comunicação oficial da saída do prefeito de Maceió do PSDB reforça que o gestor municipal entrará de cabeça na campanha eleitoral deste ano, fortalecendo uma oposição à candidatura de JHC.

Senador diz estar sincronizado com o trabalho do PSDB

Para o senador e presidente do partido do PSDB em Alagoas, Rodrigo Cunha, os cenários eleitorais sempre levam em consideração a conjuntura do momento. “Tentar prever as circunstâncias que estarão postas em 2022, hoje, é algo que não dá para fazer. Mas o PSDB está hoje empenhado em ampliar o seu quadro de filiados e atrair novas caras para a política, fortalecendo-se também com base na renovação. Em 2022 poderemos ter inclusive um candidato que sequer está atuando na política hoje”.

Ainda sobre a campanha, Rodrigo Cunha afirma que o momento agora é de fortalecer o partido em busca de novas filiações em todo estado.  “Iniciamos na semana passada uma ampla campanha de filiação em todo o estado. O momento para decisão do apoio do partido a algum candidato ou o lançamento de candidato próprio será mais adiante. Agora, o foco é na campanha de filiação partidária”, aponta o senador tucano.

Para o senador, o seu trabalho está sincronizado com os desejos do partido e com rumos nacionais do PSDB. “Desde que assumi a presidência estadual do PSDB, no ano passado, estou em total sintonia com o partido, discutindo também com a direção nacional da legenda os rumos que estamos tomando e os projetos para Alagoas”, destaca o presidente estadual do PSDB.

A reportagem da Tribuna tentou contato com o senador Rodrigo Cunha para tentar repercutir a saída do prefeito Rui Palmeira do PSDB, no entanto não obtivemos êxito. Palmeira está finalizando o segundo mandato em Maceió e é considerado um excelente articulador político.

Sem a presença do prefeito de Maceió no PSDB, o caminho para um apoio à candidatura de JHC (PSB) à sucessão de Rui Palmeira tende a se fortalecer. Na última campanha, nas eleições gerais, o senador Rodrigo Cunha formou uma parceria rentável, politicamente, junto ao deputado federal JHC e com o então candidato a deputado estadual, Davi Maia (DEM).

O resultado desta formação política foi considero exitoso, já que Rodrigo Cunha foi o senador mais votado em Alagoas; JHC foi reeleito deputado federal com maior número de votos; e Davi Maia foi eleito para uma cadeira na Assembleia Legislativa do Estado.

Quem também deve entrar no circuito das articulações para a campanha em Maceió é o ex-governador Teotonio Vilela Filho, que tem uma excelente aproximação com o senador Rodrigo Cunha.

Fonte: Tribuna Independente / Texto: Jairo Silva – colaborador

Comentários

MAIS NO TH