Política

6 de dezembro de 2019 11:20

Servidores lotam a Assembleia contra reforma da Previdência de Renan Filho

Entre as medidas desaprovadas pelos trabalhadores de diversas categorias, está a alteração da alíquota de 11% para 14% de contribuição do servidor público

↑ Servidores públicos do Estado protestam contra reforma da Previdência de Renan Filho (Foto: Sandro Lima)

Servidores públicos do Estado lotaram o auditório da Assembleia Legislativa de Alagoas (ALE) na manhã desta sexta-feira (6), para acompanhar a votação do projeto que prevê mudanças no regime de Previdência do governo Renan Filho (MDB). Entre as medidas desaprovadas pelos trabalhadores de diversas categorias, está a alteração da alíquota de 11% para 14% de contribuição do servidor público.

Os manifestantes seguravam faixas e cartazes contrários ao projeto, que foi encaminhado pelo governo do Estado na terça-feira (3). Os servidores querem pressionar os deputados estaduais a não votar a matéria.

O presidente do Sindicato dos Policiais Civis de Alagoas (Sindpol-AL), Ricardo Nazário, reclamou da possível mudança da idade mínima para a categoria se aposentar, caso a reforma seja aprovada. Ele explicou que hoje a categoria não tem idade mínima para se aposentar, apenas o parâmetro de 30 anos de contribuição.

Com a mudança a idade mínima para se aposentar seria de 55 anos. Outra questão é a pensão por morte, onde a família passaria a receber 50% do salário e não mais a integralidade de paridade.

Na sessão, dos 27 deputados estaduais, compareceram 16. O deputado Davi Maia (DEM) foi um dos que mais criticou a reforma, que considera uma “incoerência de posicionamento do governador Renan Filho”, já que, assim como outros governadores do Nordeste, assinou uma carta que foi apresentada em âmbito nacional contra a Reforma da Previdência.

Após discussão, a sessão foi encerrada.

Os sindicatos temem que durante a próxima semana a reforma seja aprovada pelos parlamentares.

Fonte: Redação / Tribuna Hoje

Comentários

MAIS NO TH